Ser escola, preparar para o mundo

Ser escola, preparar para o mundo

Colégio Pentágono

12 Agosto 2015 | 08h51

foto_ago-2016

Educar para o mundo: esta deveria ser a principal tarefa de uma escola. Formar cidadãos preparados para lidar com as diferenças de um modo respeitoso, preparados para exercer seu papel como atuantes nas decisões políticas, preparados para agir de modo construtivo na sociedade. Segundo afirma a filósofa Hannah Arendt, “A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele”; formar cidadãos é o trabalho de quem se responsabiliza pelo mundo.

Para isso, é fundamental que os docentes busquem inserir em suas práticas o constante desenvolvimento do senso crítico. É essencial que um jovem saia da escola sendo capaz de analisar com maturidade e competência os acontecimentos do mundo. Um indivíduo com senso crítico não se transforma em massa de manobra e não é passivo diante das informações que recebe, diariamente, pelos mais variados meios. Ao contrário, ele é atuante e pensa sempre no bem-estar coletivo.

Isso é imprescindível. Não há evolução social possível, se não construirmos uma sociedade em que todos estejam dispostos a fortalecer as instituições que nos afastam de nosso estado de natureza. A escola, nesse sentido, configura-se como preponderante para a manutenção e o desenvolvimento de uma nação. É papel constante do professor trazer para a rotina da sala de aula os fatos da atualidade e discuti-los com os alunos.

Por meio do senso crítico, somos convidados, a todo momento, a refletir sobre nós e sobre o mundo. Essa reflexão, por sua vez, é a única garantia de um futuro de prosperidade, compreensão e respeito. Em última instância, o desenvolvimento do senso crítico faz com que o aluno seja capaz de se expressar e de se tornar um escrevente competente, cujo texto sempre manifesta um ponto de vista bem fundamentado. É nisso que nós do Colégio Pentágono acreditamos. Investimos muito na formação de cidadãos capazes de pensar o mundo e escrever sobre ele. Por isso, temos orgulho dos resultados que obtivemos nos últimos anos na área de redação, pois eles são fruto de indivíduos pensantes e ativos socialmente.

Por Thais Rosa Viveiros, coordenadora de redação da rede Pentágono.