Responsabilidade Ambiental

Responsabilidade Ambiental

Colégio Pentágono

19 Agosto 2015 | 15h01

horta_1000px

As abordagens interdisciplinares, as inserções curriculares objetivando a formação do indivíduo e as conexões entre a escola e a vida, ancoradas em estudos de meio, são perspectivas pedagógicas de poucas escolas.

O Colégio Pentágono, além de garantir os conteúdos tradicionais das escolas, estende seu currículo em direção a um dos maiores desafios do mundo contemporâneo: a responsabilidade ambiental.

Em 2014, recebemos a credencial de ingresso no PEA – UNESCO (Programa de Escolas Associadas a UNESCO), renomado programa que agrega inúmeras escolas de nossa cidade.

A princípio, imaginávamos que tal compromisso redimensionaria nossos arraigados projetos pedagógicos, principalmente porque, a cada ano, o PEA lança um novo mote, isto é, um olhar especial das escolas associadas para temas intrigantes e complexos do mundo. Além dos motes anuais, o PEA tem temas permanentes, como a água e a preservação das formações vegetais.

Tal inquietação foi confirmada quando a Assembleia Geral das Nações Unidas lançou, para este ano, a celebração das temáticas do solo e, sobretudo, da luz: Ano Internacional dos Solos e Ano Internacional da Luz.

Consequentemente, iniciamos o processo de regulação entre os motes propostos e nosso currículo. Aos poucos, compreendemos que a temática do solo era um grande alerta para a preservação da vida em nosso planeta, enquanto que o propósito da luz ia muito além do âmbito das Ciências e Tecnologia.

Nossa memória institucional foi “iluminada” e, assim, as tradicionais práticas dos diversos segmentos da escola (Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio) não foram recriadas, mas sim evidenciadas e revalorizadas.

Entre elas destacamos, na Educação Infantil, a criação de hortas cultivadas pelos alunos e irrigadas com água da chuva que, ao final do processo, resultou no consumo de alimentos no refeitório do próprio colégio.

No Ensino Fundamental I, houve coleta de dados e análise referentes à qualidade das águas coletadas nos rios e córregos próximos às escolas da rede Pentágono.

No Ensino Fundamental II, os projetos de estudo de meio, visando analisar a qualidade de vida ao longo do percurso do rio Tietê, dentro e fora de nossa cidade.

Finalmente, no Ensino Médio, o rigor da investigação científica que o segmento requer encontra respaldo na coleta e análise de dados da biodiversidade do cerrado, nos arredores de Brasília, e nos manguezais, em Paraty.

A “luz” iluminou o nosso “solo fértil” de onde brota a responsabilidade ambiental.

20 paraty_al_pe6