Passagem do Ensino Fundamental l para o Ensino Fundamental II, perdas e ganhos

Passagem do Ensino Fundamental l para o Ensino Fundamental II, perdas e ganhos

Colégio Pentágono

15 Novembro 2017 | 08h00

Ninguém gosta de sair da zona de conforto, dá trabalho ter que lançar mão de todo o sistema de adaptação disponível e enfrentar o desconhecido.

Imagine ser retirado da zona de conforto, sem consulta prévia, até mesmo porque você não pode decidir sobre isso, e ainda numa época em que suas energias estão canalizadas para as mudanças que ocorrem no seu corpo sem que você tenha o menor controle sobre elas.

Sim! Acontece com todos nós e, também, com os alunos do Colégio Pentágono. Estão tranquilos na escola, terminando o Ensino Fundamental l, os maiores, os mais velhos, os que lideram e, de repente, têm que mudar radicalmente de posição. No Fundamental ll, serão os menores, os mais novos, e estarão lá os mais velhos, e não são poucos. Serão seis turmas de alunos cada vez mais velhos, até o terceiro ano do Ensino Médio.

São os nossos pequenos, os pré-adolescentes, e se preparam para mais uma etapa do amadurecimento humano, a adolescência! Dá-se início à jornada do herói em busca da própria identidade, saindo do aconchego do ninho familiar e arriscando-se em pequenos voos no anseio por novos referenciais. O adolescente deseja se tornar uma pessoa, ele mesmo.

Há muita emoção envolvida e é preciso cuidar do momento delicado. Para que a passagem do Ensino Fundamental l para o Ensino Fundamental lI aconteça da forma mais tranquila possível, há aspectos importantes que merecem atenção especial. Toda mudança implica perdas e ganhos e, com os nossos alunos, não é diferente. Eles já desenvolveram a autonomia e é nesse momento que eles a exercitarão com mais intensidade. Terão apoio, mas passarão a cuidar mais da própria vida. Perdem quem fazia muito por eles, mas ganham mais liberdade.

A própria sociedade dos homens, das mais diferentes civilizações, encontrou nos rituais de passagem uma forma de validar as perdas e, ao mesmo tempo, celebrar as conquistas do novo status. Na verdade, o ritual é uma forma de acolhimento em que os mais velhos recebem os mais novos, reconhecendo o mérito pela conquista do novo estágio.

No Colégio Pentágono, os alunos dos quintos anos passam, antecipadamente, por vários momentos de contato com pessoas, atividades e espaços, especialmente preparados para que, no futuro sexto ano, sintam-se familiarizados e atuem com mais tranquilidade na sua nova realidade. Além disso, os temidos mais velhos, que também passaram por todos esses desafios, estarão lá, não para ameaçá-los, mas para dar a eles dicas preciosas, que os auxiliarão a lidar com o cotidiano. Eles preparam até um “manual de sobrevivência”. Nada melhor do que a solidariedade de quem já passou pela experiência e sobreviveu para contar!

Heloísa Porto Alegre
Orientadora Educacional do Colégio Pentágono