Mundo virtual: amigo ou inimigo da educação?

Mundo virtual: amigo ou inimigo da educação?

Colégio Pentágono

07 Março 2018 | 12h19

Os alunos que hoje frequentam a escola já nasceram convivendo com as novas tecnologias da informação e da comunicação e o mundo virtual já faz parte da sua rotina. A internet permite o acesso e a troca de informações em tempo real e possibilita novas formas de interação social, não presencial.

A oposição entre o real e o virtual já não é tão clara, os relacionamentos   ocorrem simultaneamente em ambos os mundos. O mundo virtual é, também, um espaço social, onde as pessoas  se encontram, jogam, compram,  aprendem.

Além de inúmeras redes sociais, há uma grande quantidade de locais de acesso à informação e ao conhecimento. O uso da internet auxilia a aprendizagem, complementa os estudos, amplia o conhecimento e mobiliza a curiosidade.

No Colégio Pentágono, temos refletido continuamente sobre o uso adequado das ferramentas da tecnologia da informação e da comunicação. Qual a melhor forma de utilizar os recursos da tecnologia a favor do aprendizado? Tem sido   um desafio constante para o professor usar as novas ferramentas a favor do aluno, evitando o uso repetitivo e sem sentido.

Nossos alunos são orientados pelos professores a acessar informações nos blogs,  sites de pesquisa, portais educacionais e vídeos do YouTube. E os professores usam a tecnologia como suporte para as suas aulas e o seu planejamento. Os alunos adoram e aprendem Matemática com a ferramenta Mangahigh e realizam atividades interativas com o Kahoot, por exemplo. Para eles, o uso da tecnologia como apoio ao estudo em casa traz vantagens e estimula a criatividade.

Para ser uma ferramenta pedagógica eficaz, a Internet deve ser utilizada com a orientação dos professores sobre como fazer e onde pesquisar.  Há muitos usos incorretos, o maior deles é o famoso copiar/colar sem nem mesmo a leitura do texto.

Os pontos positivos do uso das ferramentas da internet são inúmeros e facilitam ou aceleram o processo de aprendizagem, como apoio e suporte. Os pontos negativos estão  relacionados ao aspecto do comportamento de quem utiliza a tecnologia.  Plagiar, copiar, ofender.  Para diminuir os  aspectos negativos,  o colégio realiza,  desde o Ensino Fundamental, a orientação sobre pesquisas em meios digitais e sobre os riscos do uso das redes sociais, como a exposição da vida particular e o cyberbullying.

A partir do Fundamental II, os alunos criam grupos no WhatsApp para a organização de tarefas, dicas de provas e de trabalhos.  Os aplicativos de trocas de mensagens e de imagens são grandes aliados para desenvolver eficientes hábitos de estudo e trabalhar de forma cooperativa.

Aos alunos do Ensino Médio são indicados  canais do YouTube e videoaulas para a fixação de conteúdos. Há alunos  que montam  vídeos  para se auxiliarem mutuamente.

Frente à pergunta “a tecnologia vai substituir o professor?”, temos certeza de que  a escola precisa de professores  que façam a mediação entre o aluno e o conhecimento, tarefa que a tecnologia não cumpre com o mesmo talento.

Adriana Giorgi Costa
Orientadora Educacional do Colégio Pentágono