Adaptação na escola

Adaptação na escola

Colégio Pentágono

20 Janeiro 2016 | 09h00

Pentágono Alphaville - Guia Escola 2015 - 213

A sociedade vem sofrendo mudanças ao longo do tempo. Os pais, com rotinas cheias de compromissos, têm pouco tempo com os filhos e, assim, a convivência com parentes, vizinhos e amigos é cada da vez mais escassa. Com isso, entendemos que a escola passou a ser, para as crianças dessa geração, o lugar do encontro! O lugar da interação com o outro da mesma faixa etária e com crianças maiores ou menores. Interação com outros adultos que, além dos pais e dos avós, também serão referência de comportamento e de atitude, modelos a serem seguidos. Não se questiona a importância do ingresso das crianças na escola, mesmo muito cedo. Afinal, a ideia é que estejam em contato com outras crianças, comunicando-se, ampliando as suas relações, desenvolvendo-se.

Então, precisamos pensar na adaptação, na entrada das crianças nesse espaço, nesse lugar de interação com o outro, de interação com a produção de conhecimento e com o conhecimento produzido pela humanidade. No Colégio Pentágono, entendemos a adaptação como um processo no qual estão envolvidos diretamente os alunos, os professores, as famílias e toda a comunidade escolar. Podemos dizer que, todos os anos, o nosso primeiro grande projeto é a adaptação, pois esta proporcionará que as crianças fiquem tranquilas, apropriem-se do espaço que lhes pertence e estejam preparadas para enfrentar os desafios propostos para cada faixa etária.

Um novo ambiente costuma ser desafiador para todos, especialmente para a criança pequena, que ainda não consegue discriminar os seus sentimentos e manifesta o seu desconforto por meio do choro. Portanto, é comum vermos as crianças chorarem, algumas vezes, nos primeiros dias, quando a mãe se afasta ou mesmo quando se despede. Nós procuramos acolher os sentimentos que permanecem por algum tempo misturados. São comuns as queixas até de mal-estar físico. A família deve permanecer próxima à coordenação e aos professores que, aos poucos, esclarecem as dúvidas que vão surgindo durante o processo.


Para darmos início ao processo, convidamos para permanecer conosco, nos primeiros dias, um adulto de referência, que pode ser o pai, a mãe, os avós ou mesmo as babás, que ficarão em uma sala preparada especialmente para isso. À professora ou ao professor, cabe levar a criança até esse espaço de encontro com esse adulto, preservando a sala de aula para alunos e professores. Começamos, aos poucos, com poucas horas, e esse tempo vai aumentando progressivamente, até que a criança permaneça o período inteiro na escola. Esse tempo menor no início visa garantir que a criança não saia cansada da escola e guarde somente as boas lembranças do tempo que passou no novo espaço, retornando saudosa dos momentos vividos no novo ambiente e ansiosa pelas experiências que irá viver! Planejamos estratégias que encantam os pequenos, com materiais diversificados, que auxiliem a criança na exploração do espaço, até que ela possa se sentir segura e aproveitar o início da sua escolaridade. É para isso que planejamos a adaptação e é isso que esperamos: que as crianças vivam na escola a interação e o desenvolvimento com muita alegria!

Por
Fernanda Bueno
Coordenadora da Educação Infantil do Colégio Pentágono