Semana Literária no Colégio Oswald

Semana Literária no Colégio Oswald

Colégio Oswald de Andrade

20 Abril 2018 | 18h39

 

No Colégio Oswald de Andrade, a fruição de textos literários e o desenvolvimento do gosto pela leitura são objetivos para a formação dos nossos alunos. Para isso, investimos na construção de redes de socialização das leituras e na experiência pessoal a partir de livros literários de autores representativos da literatura infantil e infanto-juvenil. Na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I essas atividades, que já acontecem no cotidiano escolar, são intensificadas com a Semana Literária.

A Semana Literária é um projeto anual do Colégio Oswald, em que escolhemos um escritor que é lido e homenageado pelos alunos. Em 2018, essa personalidade é Ruth Rocha, autora de renomados títulos como Marcelo, Marmelo, Martelo, O reizinho mandão, Palavras, muitas palavras e o recente Novas duas dúzias de coisinhas à toa que deixam a gente feliz. Autores como Manoel de Barros, Clarice Lispector, Cecília Meireles, Arnaldo Antunes, Ricardo Azevedo e Ana Maria Machado já fizeram parte desse projeto, que está na sua sétima edição.

Cerca de um mês antes da Semana Literária, os alunos lêem livros do autor escolhido e começam um verdadeiro mergulho em sua obra, conhecem mais de sua biografia e de seu processo criativo. As turmas são convidadas a escolher uma ou algumas obras para tematizar na forma de uma intervenção no espaço escolar, que é realizada durante a Semana Literária. Essa intervenção pode ser uma exposição, um jogo, uma encenação teatral, entre outras atividades propostas utilizando diversas linguagens. Os trabalhos são socializados durante a Semana Literária e potencializam ainda mais o interesse e a imersão na obra escolhida. Além disso, em geral realizamos uma entrevista com a personalidade literária homenageada. Clique aqui e confira a entrevista com Ruth Rocha, realizada a partir de perguntas dos alunos do Oswald para a autora.

Com a Semana Literária, mais que darmos visibilidade a obras literárias valorizadas pela crítica e ampliarmos o gosto dos alunos pela literatura, tornamos possíveis situações em que a experiência estética é colocada em primeiro plano e ocupa os espaços coletivos da escola. Destacamos o papel da literatura na formação subjetiva e na construção de vínculos entre leitores que compartilham interpretações, leituras e vivências.

Por Eric Netto
Coordenador de Bibliotecas