Ofélia avalia estudantes por meio da plataforma Geekie

Ofélia avalia estudantes por meio da plataforma Geekie

Ofélia Fonseca

08 Janeiro 2018 | 08h00

Imagem: Reprodução

Para ampliar sua proposta de desenvolver as habilidades individuais de seus estudantes, o colégio Ofélia é parceiro, há três anos, da Geekie, plataforma de estudo credenciada pelo Ministério da Educação (MEC), elaborada para estimar os conhecimentos adquiridos ao longo do ano letivo.

De acordo com a equipe da Geekie, a avaliação é uma espécie de régua capaz de medir os domínios dos alunos, do Ensino Fundamental ao Ensino Médio, por meio de réguas estabelecidas pelo MEC e que são utilizadas em exames nacionais, como o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), por exemplo.

O objetivo de uma prova padronizada, segundo Marcelo Falciano, executivo da Geekie, é acompanhar os níveis de aprendizado dos estudantes. “Desta forma, podemos permitir ações pedagógicas a fim de garantir o direito de aprender, já que as provas contêm questões que buscam avaliar o conhecimento adquirido de acordo com a faixa de escolarização, mas também traz questões que estão além do esperado para um aluno do seu ano”, explica.


No entanto, Falciano garante ainda que, mesmo no caso de o estudante não ter visto um determinado conteúdo, ele pode responder à questão utilizando outros conhecimentos já adquiridos.

No Ofélia, as avaliações são aplicadas, duas vezes por ano, para as turmas de Educação Fundamental I e II, e do Ensino Médio.

 

Resultados inteligentes

Entre outros diferenciais, a Geekie se destaca ainda por gerar relatórios inteligentes e bastante pontuais, onde é possível acompanhar os erros e acertos dos estudantes, além de propor um direcionamento para que ele melhore seus estudos, de acordo com as áreas em que têm maior dificuldade.

Para a diretora do Ofélia, Marisa Monteiro, o sistema de avaliação da Geekie vem sendo fundamental no desenvolvimento do projeto pedagógico do colégio. “Os resultados apresentados pela avaliação são muito ricos, tanto para os estudantes verificarem o aprendizado adquirido, quanto para a equipe pedagógica, que pode trabalhar as competências que aparecem como lacuna nos resultados”, conclui Marisa.