Volta às aulas: mudanças estruturais facilitam experiências e interações

Volta às aulas: mudanças estruturais facilitam experiências e interações

Paulo Adolfo

12 Janeiro 2018 | 13h55

A volta às aulas sempre gera dúvidas nos pais. Muitos não sabem que há toda uma preparação prévia – intensa, inclusive – que leva em conta aspectos variados. A escola não para. Janeiro é mês de caprichar na manutenção das instituições escolares. “A escola é um lugar pluricultural privilegiado, pois reúne experiências diversas, culturas locais, regionais e, até mesmo, internacionais. Isso a torna espaçotempo de um currículo em que as vidas circulam…”. (Fonte: Projeto Político Pedagógico: Arqui Em Caleidoscópio – SP, 2016, p. 71).

Marcus Vinicius de Souza, Gerente Administrativo do Colégio Marista Arquidiocesano, explica um pouco sobre as mudanças na estrutura da escola para a chegada do ano letivo. Meses antes, as alterações e implementações são planejadas. No Marista Arquidiocesano, por exemplo, foram adquiridos novos conjuntos de cadeiras e carteiras escolares para as salas do Fundamental 1, bloco verde, houve implantação de um novo sistema de controle de acesso, novo circuito de televisão, pintura das quadras de esportes. Houve também revitalização das portarias atualização/reforço no sistema de acesso, aquisição de novos brinquedos para o pátio da Educação Infantil, revitalização do parque do castelo, reforma da brinquedoteca, reforma nos telhados das quadras e do ginásio poliesportivo, pintura de diferentes ambientes do colégio, além de obras de manutenção de hidráulica e elétrica.

Chegando na escola, os alunos terão a oportunidade de perceber o cuidado que se tem com o tratamento do lixo na instituição de ensino – dispomos de lixeiras para o descarte de materiais reciclável e orgânico, fazemos a reciclagem na própria escola a partir de composteira, produzimos adubo e horta. Essa ciranda sustentável foi possível graças à implementação do projeto Saber Cuidar que está inserido no planejamento pedagógico do colégio.

Toda parte estrutural resvala nas questões didático/pedagógicas. “A escola sempre se prepara para receber os estudantes em um novo ano. Em se tratando da questão pedagógica, não se concebe mais a estrutura física de uma escola sem estar atrelada aos sujeitos que a habitam. Nesse sentido, os espaços de aprendizagem devem acolher a todas as crianças – novas e antigas –, propiciando um ambiente rico de experiências e de interações”, afirma Cilene Tineli, Assistente Psicopedagógica do Marista Arquidiocesano.


A preparação a que Cilene se refere contempla inclusive – e principalmente no Segmento da Educação Infantil – espaços com materiais, desenhos, quadros, luzes e tecidos que encantem, fazendo com que crianças, pais e educadores se cerquem de um ambiente propício para trocas enriquecedoras.

“Entrar em um corredor repleto de desenhos e obras que valorizam as infâncias, chegar em uma classe onde os brinquedos estão arrumados esperando para brincar e os cantinhos estejam repletos de objetos facilitadores de ricas experiências e explorações, sem dúvida, auxilia muito neste período tão complexo como o período de adaptação”, afirma Cilene.