“A internet é uma rua ‘aparentemente’ segura, mas não é”

“A internet é uma rua ‘aparentemente’ segura, mas não é”

Paulo Adolfo

06 Dezembro 2017 | 16h50

O Colégio Marista Arquidiocesano dá continuidade ao ciclo de palestras sobre prevenção contra o bullying e contra o cyberbullying e realiza hoje, 06/12, mais uma série de palestras com a Dra. Patricia Peck, especialista em Direito Digital, para alunos do Fundamental II ao Ensino Médio. No período da noite haverá palestra com os pais.

A tônica do encontro girou em torno das melhores práticas de uso on-line. “Dado um contexto competitivo, as universidades estrangeiras, por exemplo, analisam a reputação digital dos candidatos. Cuidar da reputação digital é um desafio do jovem da era digital. Como tudo acaba sendo documentado, é preciso analisar o que pode prejudicar a carreira”, afirma a advogada.

“Quem já mandou mensagem para a pessoa errada?”. Essa foi a pergunta lançada pela Dra. Patricia à plateia de alunos do 9º ano. Muitos dos adolescentes se identificaram com a situação. “Nesse cenário de novas fronteiras da informação, o trabalho educativo tem que ganhar ênfase”, explica a Dra. Patricia Peck.

Temos na contemporaneidade uma família digital, totalmente conectada, e por isso é necessário ter muito cuidado com a adequação do conteúdo.


Segundo a especialista, a responsabilidade merece um capítulo à parte. A questão da autoria, do teor das postagens – se são ofensivas ou não – podem ser alvo de processos judiciais. Diversas recomendações foram dadas, tais como: a senha do wi-fi não deve ser fácil (pois em uma possível investigação, quem responde pelo processo é o assinante da internet), não utilizar wi-fi sem senha, é necessário ter um bom antivírus em todas as ferramentas (computador, celular, tablet), entre outros cuidados.

Outro ponto muito importante discutido com os adolescentes foi a questão da saúde, ou seja, em que medida o uso da tecnologia é benéfica ou prejudicial. Dra. Patricia Peck citou alguns casos extremos como mortes que ocorreram pela distração nas ruas por conta de selfies. “Vocês têm que ter mais cuidados com o celular”, recomenda. A lista começa por: “caminhar e digitar não combinam”, “não é adequado colocar o número de celular nas redes sociais”, “coloquem senha de bloqueio em todas as ferramentas tecnológicas”, “não tire selfies demais, há muita exposição, o que é perigoso”, “coloque um bom antivírus”, “faça backup dos materiais mais importantes”, “hora de dormir é hora de dormir, desligue o celular”.

Educação sobre segurança digital

“Se observarmos a internet, ela é uma rua digital, parece ser segura, mas não é. A internet é a maior rua do planeta e, por isso, aumenta a nossa responsabilidade da vigilância”, acrescenta.

Assuntos como “é necessário ter uma atitude segura em relação aos jogos on-line” (cuidados com a Webcam, com o chat), presença de quadrilhas na Deep Web e definição precisa sobre o que é bullying (Lei n. 13.185/2015: Lei do Bullying) foram discutidos.