Na reta final do ano letivo

Colégio FAAP

03 Novembro 2017 | 10h00

Os bastidores de uma escola podem trazer aos pais e, sobretudo, aos alunos, informações muito úteis e, outras vezes, vitais no sentido de se evitar situações aflitivas e traumas que podem comprometer o processo educativo. Assim, nesta reta final, alguns cuidados adicionais devem ser tomados.

Comecemos com aqueles alunos que, praticamente aprovados, podem sentir a tentação da vitória antecipada. Apesar de raro, bons alunos acabam, nesta fase, se descuidando dos estudos e, esquecendo que o seu histórico escolar é um documento definitivo, em última instância, descuidar de sua imagem pode trazer posteriores prejuízos.

Tais sugestões, evidentemente, são válidas para todos os estudantes que, já aprovados, possam ter a sedução da falsa vitória, pois quem fica na média, é medíocre.

Na outra ponta da escala do aproveitamento escolar, temos os desesperados – aqueles alunos que, em situação aflitiva, resolvem “entregar o jogo antes do apito final”.  A norma, nas melhores escolas (que acompanham, constante e cuidadosamente o desempenho escolar de seus alunos) é sempre trabalhar a recuperação de tal forma que, considerando o esforço e o empenho, possam dar ao carente condições de, até o final, demonstrar reação positiva.

No longo convívio com os Conselhos de Classes, assistimos a adesão dos educadores ao que chamo de “média pedagógica”. Pela melhor cartilha pedagógica e longe da mesquinhez das abordagens “conteudísticas cartesianas”, os educadores avaliam o aluno no seu crescimento dentro de suas reais possibilidades e não a partir de um parâmetro genérico, ideal e nada pedagógico. Ou seja, até o derradeiro momento, se observará o esforço e a seriedade do estudante.

Jamais cansarei de afirmar que escolas, realmente fortes, não são as que massacram e reprovam seus alunos, mas sim aquelas que os promovem e recuperam sem leniência e paternalismos.

Em qualquer das situações mencionadas, cabe às famílias aumentarem seus cuidados e assistência para que o final de um ano letivo seja, apenas, a consolidação da continuidade de um processo educacional que, em nossos dias, é perene.

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP.
Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br