Lanche… como cuidar deste momento

Colégio Equipe

04 Fevereiro 2016 | 07h00

Todo começo de ano há uma grande preocupação dos pais, principalmente de crianças pequenas, em relação ao lanche da escola: “O que mandar na lancheira do meu filho?”.

Algumas escolas oferecem o lanche, outras solicitam que a família traga de casa. O importante é que seja garantida uma alimentação diversificada, fundamental para o crescimento saudável, de forma que as crianças experimentem o que é oferecido e escolham sempre algo para comer. Elas não devem ser obrigadas a comer, mas devemos oferecer uma diversidade de alimentos e intervir para que experimentem.

lanche_como_cuidar_deste_momento_01Alunas do Grupo Interidades – lanche oferecido pela escola

O apetite e o paladar são variáveis e particulares de cada um, portanto, devemos estar sempre atentos às necessidades e demandas individuais. Na escola, é importante que os professores observem como cada criança reage aos diferentes tipos de alimento e tentem interagir da melhor forma, para que as crianças sintam prazer no ato de comer.

É necessário cuidar do fato de que, às vezes, algumas crianças tendem a se acomodar e acabam comendo sempre a mesma coisa. É importante que pais e professores conversem sobre a alimentação das crianças, para garantir que elas experimentem novos alimentos.

Quando gostamos de algo, repetimos, sem comer demais; quando não gostamos muito, comemos um pouco para nos alimentar e acostumar nosso paladar a diferentes sabores; e quando realmente não gostamos ou algo não nos faz bem, recusamos, o que em geral ocorre raramente. Por isso, é importante oferecermos várias vezes o mesmo alimento, para que o paladar se acostume com determinado sabor.

lanche_como_cuidar_deste_momento_02Grupo Interidades – lanche

No Equipe, o lanche para os alunos do Grupo Interidades e do 1º ano é oferecido por nós, e cuidamos para que seja diversificado, atraente e saboroso. Todos os dias, oferecemos suco ou iogurte, frutas e um complemento que pode ser pão com geleia, requeijão, ricota ou manteiga, ou ainda um bolo. Percebemos muitas vezes que algumas crianças se recusam a experimentar algo quando oferecemos, mas quando veem o colega aceitando e comendo, querem experimentar também.

lanche_como_cuidar_deste_momento_03Professora do 1º ano servindo pão com geleia

A partir do 2º ano, os alunos podem trazer o lanche de casa ou comprar na cantina, onde cuidamos de seguir oferecendo alimentos caseiros, alguns produzidos na própria escola. Não vendemos refrigerantes, salgadinhos, frituras e balas. Cuidamos para que as crianças não exagerem na compra de chocolates, e combinamos com elas de comprarem apenas um por dia.

Para quem traz os alimentos de casa, sugerimos aos pais que não exagerem na quantidade de lanche, que evitem trazer salgadinhos e refrigerantes e que a própria criança se comprometa a pensar no que quer trazer na lancheira naquele dia. É um exercício difícil, mas que a ajudará a fazer boas escolhas no futuro. Ouvimos, às vezes, crianças dizendo algo como: “De novo minha mãe mandou esse pão. Eu não gostei.”. Se a criança não sabe o que vai comer, tem uma surpresa quando abre a lancheira; e nem sempre se disponibiliza a provar, diversificar, comer porque é saudável.

lanche_como_cuidar_deste_momento_04Alunas do 2º ano – lanche que trazem de casa

Há muito a cuidar, se dermos a devida importância ao momento do lanche: observar, planejar e avaliar intervenções, para que as crianças comam com tranquilidade, respeitem os colegas e as regras, não desperdicem alimentos e colaborem para a organização do espaço, antes e depois de comer. É preciso dedicar tempo para que elas comam devagar e esperem que todos terminem antes de se levantar. Nesse momento, as crianças gostam de estar ao lado dos colegas, de oferecer o que é seu e experimentar o que os outros trouxeram, de compartilhar gostos, sabores e aromas, considerando o caráter coletivo e o prazer de partilhar uma refeição.

 

 

Luciana Gamero
Orientação Pedagógica e Educacional – GI e 1º Ano