Alunos do BAL fazem atividades para homenagear o Dia do Índio, comemorado em 19 de abril

Alunos do BAL fazem atividades para homenagear o Dia do Índio, comemorado em 19 de abril

Carina Gonçalves

19 Abril 2016 | 12h16

Crianças2

 

Por Carina Gonçalves – 19 de abril de 2015

 


Hoje é um dia especial e os alunos do BAL estão engajados em atividades lúdicas e educacionais focadas em homenagens ao Dia do Índio, dedicado aos poucos mais de 400 mil representantes que vivem em terras brasileiras, demarcadas e protegidas pelo Governo.

 

Entra as ações, teremos pesquisas, pinturas e bate-papo sobre as diferentes culturas, costumes, culinária e evolução que estes povos tiveram ao longo dos anos, especialmente para poderem se relacionar com o “homem branco” e protegerem seus direitos.

 

“Hoje é um dia especial e muito esperado por nossos alunos, que gostam de saber mais sobre a história e a vida dos povos indígenas do nosso país”, comenta Daniela Martins, coordenadora do ensino fundamental I, do Colégio BAL.

 

“Desta maneira, além de homenagear esse povo corajoso e lutador, os alunos do Colégio BAL praticam temas ligados a história, geografia e cultura de nosso país”, finaliza Vânia Lira, diretora.

 

Crianças

 

Saiba mais:

Já se passaram mais de 500 anos desde o descobrimento do Brasil, quando o povo indígena teve o primeiro contato com o “homem branco” e seus costumes. De lá até hoje, muitas mudanças aconteceram e a população de índios sofreu diversas influências sobre seus costumes centenários e luta por melhores condições de moradia, saúde, educação e direito às terras.

 

Você sabia que antes da comitiva de portugueses, na descoberta do Brasil, os índios viviam da caça, da pesca e da agricultura, especialmente de milho, amendoim, feijão, abóbora, bata-doce e mandioca. Os animais que eles domesticavam eram de pequeno porte como, por exemplo, a capivara e o porco do mato. Segundo a Carta de Pero Vaz de Caminha (escrivão da expedição de Pedro Álvares Cabral), os índios não conheciam o cavalo, o boi e a galinha, tanto que se espantaram no primeiro contato com esses animais.