Aprendizagem baseada em projetos

Aprendizagem baseada em projetos

Colégio Anglo 21

14 Novembro 2017 | 11h25

*Por: Marcio Gato Gonçalves, professor de Biologia e de Aprendizagem baseada em projetos no Ensino Médio do Anglo 21

O que você quer ser quando crescer?

Quem nunca se deparou com essa pergunta na infância, ou não ouviu o entusiasmo de futuros astronautas, bombeiros, artistas, cientistas? Infelizmente, a empolgação na resposta das crianças em nada se assemelha à imensa ansiedade gerada pela mesma pergunta a um estudante que está terminando o Ensino Médio.

Primeiro, porque nossos alunos estão inseridos em uma sociedade fluida e digital, na qual as mudanças são fato corriqueiro e seus interesses são os mais variados.


Segundo, porque a escola tradicional encontra-se anacrônica e não consegue acompanhar o ritmo atual de mudanças, nem oferece respostas satisfatórias aos anseios tão diversificados dos nossos jovens.

E finalmente, porque surgem novas profissões o tempo todo; muitas das que existem hoje não eram nem sequer concebíveis há alguns anos: analistas de mídias sociais, arquitetos de big data, programadores, desenvolvedores de software, técnicos em marketing digital, especialistas em computação na nuvem…

Enfim, a lista de profissões novas e das competências que elas cobram é extensa, e sabe-se lá o que o futuro nos reserva!

Buscando acompanhar essas mudanças, o Colégio Anglo 21 criou uma disciplina chamada “Aprendizagem baseada em projetos” (ABP), que visa auxiliar nossos alunos do Ensino Médio a desenvolver as habilidades do século 21 e a capacidade de inventar seu próprio futuro.

Nela, os alunos não trabalham só o aspecto cognitivo do processo de aprendizagem, mas também competências inter e intrapessoais. Isto é, desenvolvem a capacidade de trabalhar em grupo, expressar-se, negociar, flexibilizar, liderar e lidar com as próprias emoções e comportamentos, assumindo um protagonismo inexistente em aulas meramente expositivas.

No primeiro semestre, dedicamo-nos à elaboração de um empreendimento imobiliário. Esse projeto envolveu o desenho de uma planta baixa arquitetônica, a construção de uma maquete em escala baseada na planta e o desenvolvimento de estratégias de marketing para a venda do empreendimento (preço do m² por região, público-alvo, folder comercial).

Neste segundo semestre, encerraremos o ano com um projeto social que, até agora, envolveu a visita a dois lares de idosos em nossa região. O projeto compreende, ainda, a produção de um mini documentário sobre a vida de um desses idosos e uma entrega social. A arrecadação dos recursos necessários para a entrega já está sendo realizada também por eles.

 

Acreditamos que o futuro da educação ultrapassa os muros da escola, e que todos devemos desenvolver e desempenhar papéis diversos nesse processo. Nossa nova disciplina tem dado mostras de que ela é um caminho para alcançarmos esses objetivos.

Bibliografia/referências

Planejando o trabalho em grupo – Estratégias para salas de aula heterogêneas – 3ª Ed. 2017

Cohen, Elizabeth G. / Lotan, Rachel A. Planejando o trabalho em grupo: estratégias para salas de aula heterogêneas – 3ª Ed., 2017