A importância do brincar dando sentido ao movimentar-se

A importância do brincar dando sentido ao movimentar-se

Colégio Anglo 21

04 Dezembro 2017 | 14h11

*Por Cléria Rodrigues, professora de Educação Física do Colégio Anglo 21 

O brincar faz parte do universo infantil. Poderíamos dizer que a vida da criança é brincar, seu mundo é construído por meio das brincadeiras. Ao observarmos uma criança, podemos perceber o seu estado brincante. Ainda que se manifeste de forma reprimida, esse estado está ali dentro dos corpos das crianças que circulam pelos espaços da escola.

A brincadeira é o jogo da criança, e quando ela joga, reproduz o que aprende e observa. Suas características, sentimentos e sensações, como criatividade, insegurança, medo, estão presentes no jogo de forma natural, assim como suas experiências do dia a dia, do meio em que vive, da relação com pais, professores e amigos. Tudo isso está posto em seu mundo, recriado com a ajuda de sua imaginação.


Nas palavras de Tizuko Kishimoto (1994, p. 7), a brincadeira constitui-se como descrição de uma “conduta estruturada”, com regras que são construídas e desconstruídas pelos “próprios brincantes.”

O brincar é o vínculo que une o desejo e o entusiasmo durante a realização de uma atividade e contribui para a criação de um ambiente gratificante e atraente. Incentiva, assim, o desenvolvimento integral da criança, que busca soluções para as situações de conflitos que surgem durante o jogo nas suas referências construídas no brincar junto.

Afinal, ao brincar, a criança, além de experimentar sensações, estabelece relações com outras crianças, com ambientes e com situações que vão contribuir para a formação de sua personalidade e vão servir de base para a aquisição de aprendizagens posteriores, que não se restringem aos conteúdos escolares, e sim abrangem todos os necessários para a vida em sentido mais amplo. Por meio do brincar, a criança raciocina, cria, emociona-se, explora, desenvolve a confiança em si e também cumpre regras, sem que estas precisem ser impostas ou ensaiadas por adultos; ela o faz porque as regras colaboram para o brincar, e brincar é imensamente prazeroso.

Uma aprendizagem significativa no lúdico implica objetivos educacionais claramente definidos e um olhar atento à ideia geral do movimento, tudo isso relacionado com os objetivos do módulo ou sequência didática, num exercício de adequação e criação de sentidos.

Nas aulas de Movimento do Colégio Anglo 21, desenvolvemos com alunos e alunas das turmas de Infantil 3 e 4 um projeto intitulado ‘O movimentar-se e o brincar”.

Nessas aulas, os alunos puderam vivenciar e aprender brincadeiras que se realizam através do movimento. No primeiro momento, pedi a eles que apresentassem uma lista de brincadeiras que conheciam, e dessa lista foram selecionadas algumas brincadeiras a serem vivenciadas em aula.  A lista das brincadeiras ficou exposta para que todos tivessem acesso a ela e para permitir a presença de todos os jogos no horizonte das crianças, sem preconceitos, abrindo os portões da escola para o mundo externo e para as vivências da criança fora dos muros da escola.