Alunos representam El Salvador no Harvard Model United Nations

Alunos representam El Salvador no Harvard Model United Nations

caroline ropero

01 Setembro 2015 | 17h02

Praticar o inglês com nativos, defender os direitos humanos e conhecer uma universidade norte-americana são os próximos passos de oito alunos do Ábaco, selecionados para participar do HMUN (Harvard Model United Nations), simulado da ONU (Organização das Nações Unidas) realizado em Boston, Estados Unidos. Neste ano, nossos delegados vão defender os interesses de El Salvador. O evento será realizado em janeiro no Sheraton Boston Hotel e contará com 3 mil participantes de diferentes partes do mundo.

480484_383809495051336_1696770686_n

A preparação já começou e conta com muita pesquisa, estudo individual e em grupo. Mariana Teramoto, 14 anos, e Thaisy Costa, 17, formam a dupla que participará de debates sobre doenças psicológicas e crônicas. “Nunca tinha parado para pensar nos problemas causados, não sabia que havia tanto preconceito e que era tão sério”, conta Mariana. “É interessante quando podemos explorar um tema importante e expor nossas ideias, colaborando para um mundo melhor”, diz Thaisy.

Além de conhecer mais sobre assuntos internacionais, os alunos adquirem novas habilidades. Patrick Pessoa, 15, e Joyce Bolognani, 16, participarão de debates sobre racismo institucional. “Aprendemos com as simulações e desenvolvemos nossa postura, o modo de expor nossas ideias. E ainda podemos conhecer outro país”, afirma Patrick.

?

A simulação também auxilia no aproveitamento escolar. “Consigo entender melhor História e Geopolítica, como e porque os conflitos acontecem e quais são suas consequências”, conta Andei Dias, 17, que falará sobre conflitos étnicos e religiosos no Sudão do Sul e no Estado Islâmico com o colega Wilson Auriane, 15. “Aumentei meu interesse pela língua inglesa e a vontade de me aprofundar nela”, diz Wilson.

Na opinião de Giovanna Meneghetti, 17, a experiência também ajuda na hora de fazer redações. “Nosso conhecimento de mundo aumenta. Isso nos ajuda a argumentar. Também conheceremos pessoas de diferentes partes do mundo”, afirma a aluna, que falará sobre energia nuclear ao lado do amigo Lucas Moreira, 17.

149396_383811268384492_467410064_n

O professor Luiz Chadad, responsável pelos os alunos na preparação para o evento, acredita que o HMUN proporciona novos conhecimentos em diferentes áreas. “O aluno dialoga sobre paz internacional, segurança, economia e progresso social. Além disso, aprende a importância do equilíbrio entre os interesses nacionais e as necessidades da comunidade internacional.”

A dica do professor para ter um bom desempenho nas simulações é chegar ao evento com propostas prontas para resolver os problemas do debate. “O delegado precisa saber negociar e ser convincente em sua fala.”