Qual é o tipo de certificação mais indicado para cada etapa da vida?

Nathalia

24 Julho 2017 | 12h06

Falar inglês hoje ainda é uma métrica muito usada pelo mercado brasileiro para dimensionar se a pessoa tem ou não conhecimento no idioma. Entretanto, quando consideramos processos formais ligados a situações de estudo ou trabalho, principalmente no exterior, essa forma de mensurar não é aceita.
Isso porque, de uma forma geral, os processos seletivos para estrangeiros tendem a pedir entre as obrigatoriedades o certificado internacional de proficiência em inglês, para que tenham a garantia de que a pessoa terá conhecimento suficiente para o entendimento de uma aula, para a comunicação com os colegas e para a leitura de documentos, por exemplo.
Ou seja, muitas vezes não basta saber o idioma na ponta da língua, é preciso provar isso no papel. Entretanto, as opções de certificação são diversas e, por esse motivo, por vezes pode aparecer alguma dúvida sobre o mais indicado para cada necessidade. Antes de optar por um deles é recomendado entender qual o mais aconselhado para a idade, para o conhecimento dominado e para o objetivo em questão.
Por exemplo, Cambridge English Language Assessment, departamento sem fins lucrativos da Universidade de Cambridge dedicado a avaliação de proficiência internacional de inglês, engloba em seu portfólio mais de 25 opções de testes e exames divididos em grupos, de acordo com suas características ou indicações. Essa adequação de nível (básico, intermediário, avançado e proficiente), público (crianças, jovens e adultos) e objetivos (negócios, gestão, estudo no exterior e acadêmico) faz com que seu resultado seja mais preciso.
Todos os produtos atendem a padrões internacionais, estando alinhados com o Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR), padrão internacionalmente reconhecido para descrever as habilidades linguísticas em um idioma que usa parâmetros objetivos para conferir condições de igualdade para todas as pessoas, sejam elas de qualquer nacionalidade.
Quando consideramos o período escolar, as principais indicações são:
Crianças
Para o público infantil, existem os certificados ‘Cambridge English: Young Learners’, criados para testar o conhecimento de forma lúdica e incentivar o desenvolvimento dos alunos. Nesse caso, não há aprovação ou reprovação. Cada habilidade é testada de forma individual a recebe pontuação em formato de escudos.
Para isso, são três níveis a serem percorridos conforme o aprimoramento do inglês: o Starters, voltado para crianças no ensino fundamental I; o Movers, que checa o progresso das habilidades linguísticas ainda dentro do ensino fundamental; e o Flyers, que demonstra se o candidato está preparado para lidar com o inglês escrito e falado do dia a dia, adequado a crianças do fundamental II.

O objetivo dessa série de testes divertidos e motivadores em língua inglesa para estimular o aprendizado é checar se o conhecimento no idioma foi adquirido de forma sólida e preparar os alunos para os certificados do futuro. Isso porque, ao inserir métricas internacionais de avaliação desde a infância o processo de mensuração se torna algo mais natural, assim como o plano de ação, caso o caminho percorrido não esteja sendo eficiente. E, conhecendo os pontos fracos e fortes, professores podem auxiliar o aprimoramento das habilidades, assim como os pais podem acompanhar o progresso dos filhos na língua.

Jovens
Já o público jovem tem a opção de prestar os exames ‘General English’ e ‘For Schools’. Trata-se de exames de básico a intermediário superior para avaliar as habilidades em língua inglesa para atividades do dia a dia, sendo que a versão ‘For Schools’ diferencia-se por apresentar temas e vocabulário próprios da vivência dos candidatos na escola. Esse exame é ideal para os candidatos que ainda estão na idade escolar e que querem se preparar para os exames de níveis mais altos, que podem ser usados para ingressar em universidades em intercâmbio fora do país.
São eles: Cambridge English: Key, que mostra que um aluno consegue usar o inglês, falado e escrito, de forma básica; o Cambridge English: Preliminary, que certifica que o candidato é capaz de entender o inglês escrito de forma simples e se expressar com a escrita e a fala; e o Cambridge English: First, que leva em consideração conhecimentos de nível intermediário superior. Este último comprova que a pessoa está apta a usar o inglês para atividades como trabalhar ou estudar e sua certificação de nível B2 do CEFR é aceita por6.200 instituições de ensino superior em mais de 110 países.

Ou seja, essa trilha de exames familiariza os candidatos com o formato de prova e também conscientiza sobre a importância de conhecer seus pontos de melhoria para uma evolução mais rápida e estruturada, com maiores chances de sucesso no futuro. E a porta de entrada para a vivência internacional inicia com o First, que antecede os exames de alto nível.

Adolescentes e adultos

Por fim, os candidatos com nível mais avançado de conhecimento, como o caso dos alunos que estão em conclusão do Ensino Médio, podem se inscrever para as certificações Cambridge English: Advanced ou Cambridge English: Proficiency, adequadas para quem precisa comprovar conhecimentos avançados do idioma, seja para oportunidades de trabalho, estudo ou obtenção de vistos e programas de imigração.

O Advanced é reconhecido por mais de 7.700 instituições de ensino superior em mais de 110 países, não possui prazo de validade e corresponde a conhecimentos de nível C1 do CEFR, o que significa que a pessoa é proficiente no idioma (nas quatro habilidades lingüísticas: leitura, escrita, compreensão auditiva e produção oral) e é capaz de seguir um curso acadêmico em nível universitário, comunicar-se de forma eficaz e expressar-se com um alto nível de fluência, além de participar com confiança em reuniões de trabalho, tutoriais e seminários acadêmicos. Já o Profiency é a qualificação internacional de mais alto nível de proficiência na língua inglesa e é indicado para quem quer comprovar fluência equivalente ao de um nativo da língua para propósitos gerais, acadêmico e profissional. Essa é a única certificação de nível próximo ao nativo e auxilia no desenvolvimento de habilidades necessárias para o sucesso em ambientes de PhD, por exemplo. Em mais de 110 países, mais de 5.200 instituições de ensino superior aceitam o certificado.