Vamos tirar um autorretrato?

Vamos tirar um autorretrato?

Escola Santi

14 Setembro 2015 | 09h55

Você já parou para pensar sobre o que crianças de 5 anos acham da selfie?

 

  • Você já tirou uma selfie?
  • Eu tiro selfie com a minha mãe.

 

  • Você sabe o que é uma selfie?
  • Selfie é quando a pessoa vira a câmera pra ela mesma e aperta o botão

 

  • Como dá pra saber que uma foto é uma selfie?
  • Quando dá pra ver o braço da pessoa segurando a foto…
  • É, e dá pra ver mais o ombro.

 

Essas conversas poderiam ter acontecido com qualquer pessoa, afinal, a selfie é o tipo de fotografia mais popular do momento. Mas, aconteceram em uma sala de aula com crianças de 5 anos, durante o início de uma sequência de atividades na área de arte na Escola Santi, localizada no Paraíso em São Paulo.

Selfie é “uma fotografia que a pessoa tira dela mesma, tipicamente com um smartphone ou webcam, carregada em um site de mídia social”, segundo o dicionário Oxford. Com esse sentido, o termo surgiu em 2002 mas só se popularizou em 2012.

1

Você sabia que a “selfie” existe há séculos? Classicamente conhecida como autorretrato, a “selfie” pode ser encontrada de diversas maneiras, como estas crianças estão descobrindo em suas pesquisas.

“Nós começamos trabalhando com pinturas e desenhos, como o autorretrato da Frida Kahlo. Quando mostrei a primeira fotografia, uma das alunas falou que era igual ao que os pintores faziam. As próprias crianças já foram fazendo a conexão entre pinturas, retratos e fotografias. E compreendem que a selfie é só uma adaptação desses autorretratos com uso da tecnologia”, explica a professora da Santi Roberta Mráz, autora da proposta realizada com os alunos de 5 anos.

Trazer para a sala de aula questões e tecnologias que fazem parte da vida dos alunos lhes dá a chance de discutir e pensar sobre elas criticamente, não só sobre o que elas representam nos dias de hoje, mas como elas foram construídas historicamente.

Além de aprender sobre a evolução das pinturas e das máquinas, as crianças também aprendem sobre uma figura fundamental na história dos retratos: os fotógrafos. Muito mais do que falar sobre eles, o grupo recebe a visita do fotógrafo Wel Calandria que, além de responder às perguntas dos pequenos sobre sua profissão, também realiza com eles uma oficina de retratos, usando uma máquina de filme.

“Poder compartilhar um pouco de conhecimento sobre fotografia com os alunos da Escola Santi foi muito prazeroso, pois é tudo um mistério para eles. Acredito que a função principal da minha visita foi justamente aumentar essa curiosidade natural das crianças e, quem sabe, deixar uma semente a ser cultivada. Pensar que algum deles poderá se tornar fotografo um dia já é o bastante para mim!”, compartilha o fotógrafo Wel Calandria.

3
Além da diversão de conversar e fazer a oficina, a prática de trazer pessoas de fora para dentro da escola expande o repertório dos alunos e os permite concretizar o conhecimento.

“É uma referência viva, tira um pouco aquela sensação das crianças de “mas isso existe mesmo?”. Existe e tem uma pessoa que vive disso. Realmente enriquece muito o projeto”, finaliza Roberta.

 

Box – Wel Calandria

4

Wel Calandria é fotógrafo desde 1987. Seus trabalhos autorais foram exibidos em quatro exposições individuais e sete coletivas, além de ter publicado dois livros: Portfolio Brasil e Celebridades como você nunca viu.  Em seu estúdio, em São Paulo, atende clientes, agências de publicidade e colabora em diversas publicações. Seu trabalho comercial e editorial vem sendo publicado em mais de 20 países, entre os quais estão toda a América do Sul,Caribe, Estados Unidos, México, Japão, Alemanha  e Inglaterra.

 

Você pode conferir todos os seus trabalhos no seu site.