Os caminhos do lixo

Os caminhos do lixo

Escola Santi

15 Fevereiro 2017 | 13h36

Escola Santi implementa projeto pioneiro de sustentabilidade com foco na gestão de resíduos e lixo

 

O ano letivo na Escola Santi – localizada no bairro do Paraíso, em São Paulo – começou com uma importante novidade que já está alterando a rotina de toda a comunidade escolar. Trata-se da implantação do projeto ReciclaSanti, iniciativa pioneira em escolas no país, com foco na sustentabilidade, que trabalhará de maneira interdependente os aspectos pedagógicos e práticos da questão do lixo produzido, propondo a conscientização sobre a importância da gestão de resíduos sólidos.

Por meio de uma parceria com a ONG Recicleiros, organização voltada para soluções e gestão sustentável de resíduos sólidos, a Escola Santi já está colocando em prática as primeiros passos do ReciclaSanti, com ações que envolvem não apenas os alunos, mas também os professores e todo o quadro de funcionários, trabalhando uma nova cultura sobre a produção e reciclagem de lixo. O objetivo é fazer com que a coleta seletiva e o trabalho nos resíduos seja realizado de maneira efetiva e eficiente, resultando num gerenciamentos mais sustentável do material descartado.


“A Santi já realiza muitas iniciativas voltadas para a sustentabilidade nos 3 âmbitos – social, econômico e ambiental. Este último ainda precisava ser aprimorado e por isso entrou no nosso planejamento estratégico. Chegou a hora de investir e de fato fazer diferença não só dentro da escola mas também plantar sementes na comunidade como um todo”, conta a diretora, Adriana Cury.

“Todo o processo foi realizado após duas etapas prévias. Em primeiro lugar, fizemos um diagnóstico junto à escola para entender o seu ecossistema e os processos de gestão de resíduos. Em seguida, foi a vez de criar as soluções, discutidas em grupos que incluíram professores e funcionários”, explica Erich Burger, da ONG Recicleiros.

16403435_1413445985364048_6515859137491389728_o

SISTEMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS – Entre as ações já realizadas por meio do conceito SGR – Sistema de Gestão de Resíduos – está o aperfeiçoamento e otimização da coleta seletiva de lixo produzido na escola. Desta maneira, os conjuntos de lixeiras separadas por cores que determinavam o tipo de material reciclável a ser descartado foram substituídas por apenas duas opções: Reciclável (latas, garrafas, copos, plásticos, embalagens Longa-Vida etc) e Não-Reciclável (cascas de lápis, gomas de mascar, guardanapos, clipes, grampos, pacotes laminados de salgadinhos e biscoito etc).

Em seguida, esse material é recolhido periodicamente pela cooperativa de catadores Yougreen, responsável pela coleta seletiva do projeto.

Já o material orgânico possui uma nova estrutura para descarte, com um modelo mais adequado ao SGR: uma composteira com minhocários que se transformará em hortas, criada especialmente para receber os resíduos de lanches e da cozinha da escola. Os alunos do projeto Santimais são os responsáveis pelos cuidados com a composteira.

16463004_1413449095363737_7126114867593317365_o

COMUNICAÇÃO – É importante ressaltar que além das ações para gestão de resíduos, a Escola Santi também se preocupou em comunicar de forma eficiente estas novas ações. Desta maneira, todas as lixeiras estão devidamente sinalizadas com textos e imagens dos materiais que deverão ser descartados, além de terem sido colados cartazes explicando o projeto nas escadarias, banheiros e em outros espaços da escola, numa verdadeira campanha de engajamento.

Já a equipe da escola recebeu treinamento por parte dos Recicleiros antes do início das aulas. “Reforçamos para que todos entendam para onde vai o resíduo. O descarte de um simples copo d’água, com um sistema mais efetivo, pode diminuir até mesmo o lixo no aterro, impactando de maneira positiva o meio-ambiente”, explica Erich Burger.

“No Ensino Fundamental 2, introduzimos também o Projeto Bilíngue, nova disciplina que trabalhará com a temática do lixo do 6° ao 8° anos, por meio do Garbology, projeto desenvolvido na Índia e já aplicado em escolas na Ásia e Europa. Estamos orgulhos em trazê-lo para o Brasil e de ter os alunos como guardiões do ReciclaSanti”, avalia a diretora da Santi.

DSC_8579