English as a second language

English as a second language

Escola Santi

20 Abril 2017 | 17h14

Quando o assunto é falar inglês, quanto mais melhor?

Na televisão, séries e filmes legendados. Nas rádios, músicas de artistas internacionais. Nas lojas, as vitrines anunciando “sale” e os produtos em 50% “off”. Nas ruas, a qualquer momento podemos escutar estrangeiros conversando ou sermos parados por um turista pedindo informações. Essas e muitas outras situações pelas quais passamos no dia-a-dia mostram que o inglês não é mais apenas um diferencial para o mercado de trabalho, mas sim essencial para o acesso a informações e para a comunicação num mundo globalizado como o atual.

Nesse contexto, as escolas que não são consideradas bilíngues ou internacionais oferecem em seus currículos aulas de línguas estrangeiras, com o intuito de preparar seus alunos para todas estas situações comunicativas às quais estão expostos, garantindo o desenvolvimento das quatro habilidades – fala, escuta, escrita e leitura.

No caso da Santi, escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental, localizada no bairro do Paraíso, em São Paulo, os alunos têm aulas de inglês curriculares 3 vezes por semana desde os 3 anos e saem ao final do 9° ano, não só preparados para acompanhar os cursos de inglês do Ensino Médio – etapa seguinte da escolaridade, mas também para vivenciarem com tranquilidade situações variadas na língua inglesa. No Ensino Fundamental 2, além das 3 aulas semanais, os adolescentes participam de um projeto curricular bilíngue, encontro semanal sobre o tema sustentabilidade, ministrado em inglês. Confira no vídeo:


“Sabemos que quando se trata de língua estrangeira, quanto maior a exposição, maior a aprendizagem. Numa escola regular, onde se pretende realizar uma formação integral, equilibrando a aprendizagem das diversas áreas, competências e habilidades, o currículo de inglês (e espanhol, no caso da Santi) deve estar pautado em referenciais que garantam um ensino de qualidade”, explica Adriana Cury, diretora geral da Escola Santi. “No nosso caso, utilizamos o Common European Framework of Reference for Languages e garantimos que os alunos tenham um bom nível de inglês ao concluírem o 9° ano na Santi, sem que seja necessário frequentarem cursos extracurriculares”, conclui.

Mesmo assim, há as famílias que desejam mais. Para isso, a escola oferece o curso de Vivência em Inglês até o 5° ano e o Exchange! aos alunos do Ensino Fundamental 2. Ambos opcionais, na grade de atividades extracurriculares, em parceria com a Target Idiomas, empresa que ministra estes cursos e é também parceira na formação dos professores responsáveis pelo ensino curricular de inglês e espanhol da Santi.  

 

E quando começar o extracurricular?

Quanto mais cedo as crianças iniciarem o contato com o idioma, maior será sua fluência e compreensão no futuro, conforme explica Vera Lemos, coordenadora das atividades do curso de Vivência em Inglês na Santi:

“Até os 7 anos de idade, as crianças estão com os ouvidos muito abertos por causa da recém aquisição da língua materna. Isso quer dizer que elas percebem nuances do som que quando adultos nós já não conseguimos mais, por termos esse canal fechado. Por isso, quanto mais nova a criança iniciar o contato com a nova língua, maior o benefício”.

O curso de Vivência em Inglês na Santi atende crianças a partir dos 3 anos – mesma idade em que são iniciados os estudos em inglês na grade das turmas – até os 9 anos. As turmas são formadas por crianças de duas idades próximas e os projetos pensados de acordo com um tema de interesse de cada faixa etária, com foco na linguagem comunicativa, ou seja, na habilidade de se comunicar e se expressar.

Por meio de brincadeiras, de artes, culinária, músicas, vídeos, jogos de quadra, de mesa, interação pela internet e tantas outras bases, as crianças têm a chance de aprender de forma lúdica e fora da sala de aula, vivenciando experiências que crianças nativas de países de língua inglesa vivenciam no seu cotidiano, o que traz os alunos para o contexto real de uso do idioma. A ideia é tornar o contato com a língua inglesa o mais prazeroso e gratificante possível, pois fatores afetivos e motivadores constituem a garantia de êxito no futuro. Confira vídeos das diferentes turmas de Vivência em Inglês nessa playlist:

“As crianças adoram ouvir histórias, assim como adoram músicas e cantar, e em todas essas situações elas escutam falantes nativos, conhecem gírias e expressões idiomáticas realmente usadas no dia-a-dia, trabalham a compreensão e demonstram essa compreensão por meio de gestos ou respostas de uma forma lúdica que as deixam abertas para esse aprendizado”, finaliza Vera.

Para os mais velhos, a proposta é que eles façam uso da língua inglesa por meio de intercâmbio de culturas com outros países, participando de projetos internacionais e/ou estudando suas culturas em projetos desenvolvidos internamente.

 

Confira mais informações no nosso site.

0 Comentários