As TDIC no cotidiano escolar: campo de possibilidades de aprendizagem

Colégio Santa Maria

10 Agosto 2017 | 14h23

Autoria: Maria Cristina Forti

 

Pensar o uso das novas ferramentas tecnológicas digitais de informação e comunicação de forma cada vez mais integrada ao projeto pedagógico tem sido um desafio enfrentado e amplamente debatido nas instituições de ensino, compondo a ideia de webcurrículo.

Na perspectiva do webcurrículo,  o uso das TDIC (tecnologias digitais de informação e comunicação) deve se dar de forma criativa, incorporando-se as ferramentas digitais aos processos de produção do conhecimento. Devem estar presentes nas diversas atividades de sala de aula, de acordo com a intencionalidade de propiciar aos estudantes a aprendizagem pela experiência e mediante objetivos claros.


Considerar o webcurrículo significa olhar sensivelmente para os estudantes contemporâneos, crianças, adolescentes e jovens que têm em sua cultura a estreita ligação com diferentes dispositivos tecnológicos e suas linguagens. A forma como o pensamento desses sujeitos se organiza está repleta de referências, formas e conteúdos vindos das TDIC. Negar esta realidade, na escola, é promover barreiras à interação entre educadores e educandos e desconsiderar o contexto social e cultural dos estudantes.

Em consonância com essa questão, no Colégio Santa Maria têm sido crescentes os movimentos de planejar atividades e sequências didáticas permeadas pelo uso das TDIC. Um exemplo disso é o recente trabalho de pesquisa realizado pelas alunas e alunos do 8º ano nas aulas de Geografia, relacionado à proposta de estudo do meio que a série executa.

O estudo do meio, metodologia que coloca o estudante em contato com o processo investigativo acerca de uma temática, envolve trabalhos de pré-campo, campo e pós-campo de forma interdisciplinar. Nesse caso, o tema foi “Brás, Bexiga e Barra Funda: as migrações e as transformações econômicas, sociais e culturais na cidade de São Paulo”, sendo realizadas as pesquisas de campo no circuito de deslocamento entre estes três bairros. Os componentes curriculares diretamente envolvidos foram Geografia, História, Língua Portuguesa e Artes.

No componente curricular Geografia os estudantes tiveram contato com o software livre “fábrica de aplicativos” (www.fabricadeaplicativos.com.br), que permite a construção de um aplicativo próprio para gerar criações de propostas; roteiros de pesquisa e entrevistas; sistematizações e tratamento dos dados e informações coletados; produções; linguagens diversas de expressão das produções, análises e conclusões.

Pelo segundo ano consecutivo, os alunos 8º ano do Colégio Santa Maria substituíram as tradicionais apostilas impressas por seus smartphones no estudo do meio pelos bairros do Brás, Bixiga e Barra Funda. Munida de seus dispositivos móveis e equipada com o aplicativo iniciado pelos professores, a garotada teve a oportunidade de investigar, compreender e refletir sobre os diversos processos migratórios que contribuem para a formação da identidade cultural da cidade de São Paulo, coletando e armazenando sons, imagens e depoimentos ao longo do roteiro proposto.

Ambientalmente sustentável, uma vez que se deixou de produzir dezenas de apostilas, com significativa economia de papel e tinta, o uso de dispositivo de tecnologia móvel proporcionou maior aproximação entre o cotidiano de aprendizagem escolar e a realidade do aluno. Além de tratar-se de uma coprodução entre os professores e os estudantes.

Depois da riquíssima experiência vivenciada e da coleta de dados, imagens, sons e registros pessoais, os alunos, divididos em grupos, deram início ao trabalho de pós-campo. Têm sido destinadas algumas aulas para a seleção de imagens, transcrições de depoimentos, produção de textos e discussões acadêmicas sobre todo o material coletado no campo e, finalmente todo este aprendizado será reunido em aplicativos para dispositivos móveis produzidos pelos próprios jovens. Sendo assim, cada grupo criará um produto diferente e de forma autoral, o seu próprio aplicativo, que pode será disponibilizado em rede, de forma a amplificar a sua aprendizagem para quem quiser ter acesso.

Os trabalhos deste ano estão em andamento e poderão ser acessados no endereço: http://galeria.fabricadeaplicativos.com.br/csm_estudo_do_meio_bras_bexiga_e_barra_funda

Avaliamos que estas e outras iniciativas têm contribuído para, ao mesmo tempo, aproveitarmos as TDIC como aliadas no processo de aprendizagem, aproximando-nos da realidade dos alunos; propiciarmos aos estudantes usos dos dispositivos tecnológicos de maneira diferente das que estão habituados; problematizarmos as próprias TDIC, seus potenciais e seus reais usos na sociedade contemporânea.