São Paulo sob um novo olhar

São Paulo sob um novo olhar

Colégio Santa Maria

14 Setembro 2015 | 07h00

Conhecer museus, visitar igrejas, caminhar pelas ruas das cidades, utilizar o transporte público de um ponto a outro a ser visitado, enfim, tudo isso faz parte da vivência de muitos turistas conhecendo novos lugares. Mas e quando esta experiência é proposta pela escola na própria cidade em que os alunos vivem?

1409_IMG_20150818_074758138  1409_IMG_20150818_081635326

Os alunos do 8º ano do Fundamental II do Santa Maria tiveram a oportunidade de conhecer uma parte da história da cidade de São Paulo visitando três de seus antigos bairros: Brás, Bixiga e Barra Funda. Locais que carregam muitas histórias e transformações, tema do estudo do meio proposto para a série.

Um dos objetivos era o de investigar como se deram os processos migratórios na cidade desde o século XIX e como estes processos ainda ocorrem nos dias atuais, construindo uma identidade plural, resultante de uma grande diversidade cultural, já que diferentes nacionalidades chegaram e ainda chegam a São Paulo. O Museu da Imigração e dois centros que recebem imigrantes e refugiados foram escolhidos para esta etapa da pesquisa de campo.

Além disso, os alunos puderam observar as transformações sofridas pela cidade, contrastando construções antigas e recentes, como também visitando prédios tombados ou em processo de restauração, como a Vila Itororó no Bixiga. Conheceram o Memorial da América Latina, projetado por Oscar Niemeyer, e seu acervo rico em obras de arte e objetos da cultura popular dos países latino-americanos.

Quando a experiência é proposta pela escola, museus, igrejas, prédios, casas, ruas, fotografias e depoimentos tornam-se documentos de pesquisa. E quando os documentos de pesquisa são selecionados e analisados, novos conhecimentos são produzidos.

Partindo da hipótese de que São Paulo não foi construída apenas pelos imigrantes europeus, coletando dados e descobrindo a diversidade de nacionalidades e culturas que formaram a cidade, os pequenos pesquisadores dão rostos e vozes aos nordestinos brasileiros, africanos, asiáticos e latino-americanos que construíram e ainda constroem esta metrópole brasileira, contribuindo para uma sociedade mais tolerante e cidadã.

“A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida.” – John Dewey