Ler é preciso…

Ler é preciso…

COLÉGIO SANTA MARIA

11 Junho 2015 | 09h16

Atividades que estimulam e reforçam o gosto pela leitura

Ler na escola é importante para ampliar a percepção do mundo à sua volta.  A criança que compreende o código verbal escrito, as imagens, interage com o meio em que está inserida. Garantir o contato com as obras e apresentar diversos gêneros aos alunos é uma das principais funções dos educadores do Colégio Santa Maria, a fim de desenvolver comportamentos leitores e o gosto pela literatura. Por isso, a leitura compartilhada na sala de aula se faz tão presente no cotidiano do 5º ano do Fundamental I, seja nas aulas de Língua Portuguesa, como em outras disciplinas.

 

Neste ano, teve início o trabalho literário com o livro “O Mário que não era de Andrade”, de Luciana Sandroni, em que, por meio de uma linguagem clara e de um diálogo envolvente, o menino Mário conhece o poeta, o artista genial e sua vasta obra cultural. A partir dessa leitura, os alunos desenvolveram trabalhos artísticos diversificados, como “caixa literária”, recontaram a história fazendo uso da linguagem não-verbal, dramatizaram algumas cenas, também realizaram pesquisa sobre Mário de Andrade – biografia, obras, poemas e a Semana de Arte Moderna de 22 -, além de  uma atividade de retextualização, onde transformaram o conto em uma matéria jornalística, a reportagem. A leitura contribui, neste caso, como um instrumento que instiga a confrontar ideias, ideais e valores.

1106_FundIA volta ao mundo (6)

O próximo passo é uma viagem com Júlio Verne, em “A volta ao mundo em 80 dias”, que apesar de ter sido escrito em 1872, ainda desperta o interesse das crianças do século XXI, tão conectadas com os e-books, as redes sociais, os jogos eletrônicos… Esta obra tem aguçado a curiosidade por Júlio Verne e despertou a admiração dos alunos pelo autor, que viveu em uma época bem diferente da que eles vivem.  As informações contidas no livro, e que muitos julgavam ser fictícias, vieram das pesquisas feitas por Júlio Verne e também de sua rica imaginação. Assim, muitos alunos deslocaram-se à biblioteca Pe. Moreau à procura de “Cinco Semanas em um balão”, “Viagem ao Centro da Terra” e “Vinte mil léguas submarinas”. Doses de ficção científica, aventuras em locais extraordinários e aspectos culturais de povos e pessoas reais e imaginárias são elementos presentes na obra do escritor francês, que encantam os alunos.

No 5º ano, é preciso desafiá-los e a leitura dos clássicos cumpre bem esse papel porque rompe com seu universo de expectativas, e os recursos de linguagem empregados em uma obra clássica auxiliam a determinar a maior ou menor dificuldade de leitura. O tema “A volta ao mundo em 80 dias” também foi usado no sábado, 16 de maio, dia destinado aos “Desafios Pedagógicos”, em que todas as disciplinas apareceram em atividades instigantes, lúdicas e cooperativas. Através de diferentes linguagens: verbal (dramatização e criação de uma nova viagem no século XXI), não-verbal (ilustrações dos protagonistas, de uma cena bem escrita), os alunos “viajaram” na aposta de Philleas Fogg e seu incrível fiel criado Jean Passepartout.

 

Os recursos estilísticos presentes em uma obra clássica e ágil, que incita a criatividade e auxilia na formação de leitores críticos dos alunos são razões fundamentais para afirmar que ler é preciso. Afinal, a escola é o lugar por excelência em que a leitura pode – e deve – ser difundida. Ensinar a ler é também outra maneira de demonstrar afetividade e o quanto cada aluno é essencial para o Colégio e seu corpo docente.

Mais conteúdo sobre:

5º anoescolafundamentalleituraler