Estimar e calcular…

Estimar e calcular…

Colégio Santa Maria

18 Junho 2015 | 10h32

Aprendizagem de conceitos matemáticos com materiais concretos e relacionada com o que cada aluno traz em sua bagagem de vida

FundI FundI_medidas

Assim como a contagem, medir também é uma necessidade cotidiana. E, ao medir, muitas vezes, estimamos antes de efetuar de fato a medição. Estimamos o tempo que gastaremos para fazer um percurso, estimamos o valor a ser gasto em uma compra, estimamos a quantidade de comida a ser feita nas refeições… Diante disso, propor atividades práticas que propiciem aos alunos a oportunidade de desenvolver habilidades relacionadas a grandezas e medidas são imprescindíveis.

 Os alunos do 4º ano do Fundamental I iniciaram o trabalho com grandezas e medidas, inserido no componente curricular de Matemática, explorando o espaço e estimando comprimentos, medindo com os passos ou com palmos um determinado comprimento. O uso das partes do próprio corpo como unidade de medida, tão comum entre os povos antigos, faz parte do processo de reconstrução histórica dos métodos de medição que o aluno desenvolve ao longo das aulas.

 No início, as estimativas estavam muito diferentes e foi preciso o uso de instrumentos de medição para confirmar as estimativas. Havia, porém, a necessidade de saber qual o melhor instrumento de medição naquele momento. Um dos alunos propôs a régua, mas perceberam que necessitavam de algo maior. Buscaram a fita métrica e iniciaram as medições. As surpresas e expectativas quanto aos resultados foram inúmeras. Os alunos conseguiram perceber as conversões existentes nas unidades de medida, como a relação de que 100 cm correspondiam a 1 metro e assim por diante.

 Fizeram o registro do que aprenderam e em seguida foi proposta a continuação dos estudos em casa, com a tarefa de estimar e medir o comprimento de sua cama, da janela de seu quarto, de canetas, lápis, borrachas… para socializarem com os colegas no dia seguinte. Qual não foi a surpresa quando, além das medições feitas, eles trouxeram outros medidores, como trenas, metro de madeira, diferentes réguas, além de muito entusiasmo para continuarem as medições.

 A aprendizagem acontece a partir da manipulação de objetos concretos, das ações realizadas com eles, da relação que cada aluno faz segundo a sua bagagem de vida, além da interiorização que vem após novas experiências. Com isso, fica fácil a integração com conceitos anteriores e a aplicação acontece no seu dia a dia, com a possibilidade de criar novas estruturas.