Espaços, relações e pertencimento

Espaços, relações e pertencimento

Colégio Santa Maria

23 Agosto 2017 | 07h30

Autoria: Karina Rodrigues

Pensamos os espaços da sala de aula na Educação Infantil do Santa Maria como ambientes interativos que favorecem a participação ativa das crianças. Espaços que acolhem, aproximam e educam. Espaços de encontro… Encontro com a aprendizagem, com os materiais, com o outro e com novas possibilidades.

Neste semestre, reformulamos o espaço da leitura e o enriquecemos com alguns elementos: uma grande cabana e as almofadas, que deram um ar acolhedor e aconchegante.

Contar com a participação dos pais para construir cenários e espaços é essencial para criar um clima cheio de pertencimento. Neste ano, nossa lição de férias foi a confecção de almofadas para esse espaço.

No primeiro dia de aula, as crianças chegaram ansiosas para compartilhar com os colegas o que construíram em família. Customizaram com cores, formas, pinturas, colagens, desenhos… E, aos poucos, passaram a relacionar-se com esse espaço de uma maneira mais afetiva. Deitar, sentar, partilhar, abraçar, apertar, apoiar-se em suas almofadas e na dos colegas, agora fazem parte da nossa tarde.

Transformamos esse espaço em um local com múltiplas possibilidades. Um convite a ler, a ouvir histórias, a manusear os livros, a teatralizar… Crianças que estão construindo diferentes relações com a leitura, inseridas em um mundo de sentidos e significados que permitem a ampliação e a construção da cultura infantil por meio da literatura. Com isso, percebemos que as crianças desenvolvem a imaginação, a emoção, ampliam vocabulário, criam novas histórias e adquirem um comportamento leitor.

Um espaço para conversar, pesquisar, rir, imaginar, se encantar e brincar.

“Tudo começa quando a criança fica fascinada com as coisas maravilhosas que moram dentro do livro. Não são as letras, as sílabas e as palavras que fascinam. É a história. A aprendizagem da leitura começa antes da aprendizagem das letras: quando alguém lê e a criança escuta com prazer. A criança volta-se para aqueles sinais misteriosos chamados letras. Deseja decifrá-los, compreendê-los – porque eles são a chave que abre o mundo das delícias que moram no livro!” – Rubem Alves