Arte, olhar, criatividade, consciência e lazer em um mesmo espaço

Arte, olhar, criatividade, consciência e lazer em um mesmo espaço

Colégio Santa Maria

25 Setembro 2017 | 07h30

Autoria: Maria Carolina Biscaia

 

A Semana Pe. Moreau do 7º ano do Santa Maria foi marcada mais uma vez pela criatividade e dinamismo de nossos alunos. A presença maciça deles com suas famílias e convidados abrilhantou ainda mais o evento.

A sala sobre os Biomas brasileiros mostrou trabalhos em forma de um telejornal (gravado ao vivo) que trazia questões como o uso da terra nos biomas, a demarcação das terras indígenas, mártires e a reforma agrária, além dos problemas ambientais que levam ao processo de extinção. Várias dinâmicas foram desenvolvidas, culminando com o convite para que os visitantes devolvessem à natureza pássaros de origamis que representavam os animais por nós ameaçados. A mensagem final era que cada um de nós, ao levar para casa um animal, assumia o compromisso de cuidar da vida, sob qualquer circunstância.

Na sala Construindo narrativas de terror, os alunos, inspirados nos livros Frankenstein, The real McCoy e La casa de los sustos, criaram um baralho para a criação de narrativas orais de terror. Nele havia 25 cartas com indicações de ação, personagem, comida, lugar e objeto.  Com a ajuda de um aluno mediador, as cartas eram distribuídas para que com elas os jogadores começassem a formar uma história. Assim, vencendo a timidez e o desconhecido, juntos criaram uma história de terror inédita e muitas vezes até engraçada.

Na sala Jogos matemáticos foram desenvolvidos jogos cujos tabuleiros e cartas foram totalmente confeccionados pelos alunos, que em condição de monitoria explicavam aos visitantes as regras e jogavam livremente. Foi diversão garantida a públicos de todas as idades.

A sala Cuidados com o corpo: Trabalho e lazer na história do homem foi elaborada a partir da ideia de que existe uma relação profunda entre a cultura de um povo e a forma de organização do trabalho adotada por ele. A exposição que nela se encontrou explorava justamente essa relação entre trabalho e cultura nas sociedades tradicionais, em especial nas sociedades africanas e da América indígena. Também foi composta por uma oficina de expressão corporal, criada a partir das discussões feitas nas aulas de História e Educação Física. Ela foi inspirada nos movimentos ligados ao trabalho rural, tais como arar, peneirar, plantar, colher etc.

Na sala da Oficina de fotografias os alunos e visitantes foram convidados a pensar em como explicar o mundo se estamos presos à sala de aula? Como o mundo invade a sala de aula e atravessa as pessoas? A oficina de fotografia em geografia propôs uma vivência de olhar com e sem câmera, ampliando a percepção e compreensão de mundo a partir do espaço da sala de aula.

Permeando todos os espaços do prédio e ainda em uma sala, os trabalhos feitos no Ateliê de Artes exploraram a obra de Vicent Van Gogh dando a alegria e o requinte que nossa manhã tão especial precisava.