Adolescentes são crianças crescidas ou quase adultos?

Adolescentes são crianças crescidas ou quase adultos?

COLÉGIO SANTA MARIA

22 Fevereiro 2016 | 07h30

Fabíola Albuquerque Iszlay

A adolescência é um momento da vida pelo qual todos em nossa cultura passam. Mas será que, mesmo após a experiência vivida, podemos defini-la? Adolescentes são “crianças crescidas” ou “quase adultos”? Que responsabilidades lhes cabem?

Ao elaborar o Projeto da Série do 8º ano do Fundamental II do Santa Maria, a equipe docente se deparou com a tentativa de definir esta fase da vida e algumas palavras surgiram: identidades, mudanças, conflitos, aceitação, hormônios, puberdade, rebeldia, experimentações, confusão etc. Pode-se dizer que todas elas caracterizam este período, mas o que mais chamou a atenção foi identidades. Afinal, elas existem neste momento? Com o que ou quem o adolescente se identifica? Que elementos forjam essas identidades?

O conceito de adolescência foi uma construção cultural do século XX. Até então, este momento era marcado por ritos de passagem que procuravam definir o fim da infância e o inicio da vida adulta. Hoje, compreendida em nossa cultura como um período de preparação para a vida adulta, a adolescência marca a construção de identidade própria, ao mesmo tempo em que exige o pertencimento a um grupo, ou seja, uma identificação com o outro. Apartados do mundo dos adultos, estes jovens encontram nos grupos formas de resistir e compartilhar.

Mas afinal, como despertar em nossos jovens entre 12 e 13 anos uma reflexão sobre esta fase e suas perspectivas para o presente e o futuro? Após diversos debates, propusemos o tema Cultura e Identidades: Qual o Meu Papel no Mundo? A ideia do projeto é dar subsídios aos nossos alunos e alunas para que se compreendam como seres atuantes da sociedade em que vivem e construam suas identidades pensando em como contribuir de forma construtiva e crítica para uma sociedade mais justa, solidária e sustentável.

2202 img 3 2202 img1 2202 img2 2202 img4