A inteireza de ser na roda

A inteireza de ser na roda

Colégio Santa Maria

16 Agosto 2015 | 06h00

Prisma – Centro de Estudos do Santa Maria promove encontro e formação com a autora Luciana Ostetto; evento é gratuito

A dança é uma forma ancestral de magia, invenção dos deuses que a ensinaram aos homens, diz-nos a mitologia hindu. Envolvido no mistério e movimento da dança, o dançarino pode encantar; porém, antes de tudo é preciso que encante a si mesmo. Não seria este também o caminho do professor? Fazer para si para poder fazer ou propor aos educandos, encantar-se para poder encantar; criar para poder seguir com as crianças a aventura da criação; ousar para poder encorajar?

Nesta direção, a pergunta que percorre o presente artigo é assim formulada: como contribuir com o processo de encantamento dos professores, como alimentar a sensibilidade, nos percursos da formação universitária? Buscando respostas no processo de pesquisa, identifica-se na experiência com as danças circulares, tradição de diferentes povos, um profícuo caminho pelo qual aquele espaço de encantamento, de inteireza, de educação estética, igualmente, pode ser provocado.

Para que o professor trabalhe com arte, não basta dominar as linguagens e o código da arte, conhecer sua historia ou ser dono de um saber fazer artístico. Antes, será preciso saber onde estão sua sensibilidade e ousadia. Aventurar-se permitir-se viver o medo a incerteza o desconhecido. O que lhe encanta? O que lhe mobiliza?

No dia 22 de agosto de 2015, das 8h30 às 12h, no Prisma – Centro de Estudos do Colégio Santa Maria a professora Dra. Luciana Ostetto realizará uma palestra, uma vivência e fará o lançamento do seu livro “Danças circulares na formação de professores: a inteireza de ser na roda”. O evento será gratuito e aberto a todos que acreditam que para seguir com as crianças pelos caminhos da educação e da arte, é essencial acordar nossa dimensão brincante.

Mais conteúdo sobre:

dança circularLuciana Ostetto