A diversidade sexual na escola: um início de conversa

A diversidade sexual na escola: um início de conversa

COLÉGIO SANTA MARIA

12 Junho 2015 | 06h40

Questão de gênero é tema de formação de professores do Ensino Médio do Santa Maria

Dentre tantos assuntos de relevância no contexto educacional, um que se coloca com urgência é a questão de gênero. Trata-se de uma categoria nova de investigação dentro das Ciências Humanas, que envolve indubitavelmente questões psicológicas, antropológicas, históricas, biológicas, políticas, entre outras.

1206_EM_sugestao1_blogestadao_052015

A categorização habitualmente conhecida, cuja dicotomia centrava-se nos binômios homem/mulher, pai/mãe não contempla a diversidade de relações que se observa em nossa sociedade ocidental. Os próprios estudantes vivem as novas configurações familiares: dois pais, duas mães, famílias agregadas, assim por diante.  Desde cedo, surgem questões a respeito dos conceitos de bissexualidade, de transexualidade, de homossexualidade, de heterossexualidade. Dada a complexidade e amplitude do tema, é necessário que a escola modifique seu olhar, investindo em estudos mais sistematizados com a equipe docente e modificando práticas que estão em descompasso com a realidade posta.

Essa preocupação e necessidade de mudança de paradigma atingem as esferas públicas. O que foi pejorativamente chamado de “Kit Gay” é, na verdade, uma produção inserida no programa Brasil sem Homofobia – Programa de Combate à Violência e à Discriminação contra LGBTTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros) e Promoção da Cidadania Homossexual. No entanto, alas conservadoras no próprio Congresso Nacional se fecham ao debate e o diálogo fica emperrado, cercado pelo ranço da ignorância, do preconceito e da discriminação. O mesmo acontece na comunidade escolar.

O papel fundamental da escola cidadã é desnaturalizar e problematizar conceitos arraigados, trazendo à tona a reflexão sobre a temática que tem sido abordada de maneira cada vez mais direta, como em novelas, filmes, seriados. O investimento na formação de professores com a distribuição, proposta de estudo e utilização do caderno “Escola sem Homofobia”, para professores do Ensino Médio, é um exemplo da incorporação dessa preocupação ao trabalho pedagógico no Colégio Santa Maria.

Para saber mais: http://revistaescola.abril.com.br/pdf/kit-gay-escola-sem-homofobia-mec.pdf

Mais conteúdo sobre:

diversidade