Ler ou não ler, eis a questão?

Colégio Santa Amália

08 Março 2018 | 16h07

A leitura não é mais uma questão a ser discutida e sim uma prática fundamental para aproximar as crianças do mundo letrado, ao qual elas começam a ter acesso desde bem pequenas, e se apropriam dele no seu cotidiano, por exemplo, quando os pais leem uma história para os filhos dormirem ou apenas para o entretenimento das crianças.

Quando alguém lê uma história, além de ficarmos cientes de que ela foi escrita, acontece outro fator importantíssimo e necessário quando estamos na infância: o despertar da imaginação, a recriação e a reinvenção das personagens e dos fatos contados.

É muito curioso apreciar o momento em que um grupo de crianças se reúne e planeja um teatro sobre a história que acabou de ouvir. Eles conseguem representar as personagens e suas características apenas usando o que ouviram e imaginaram.

A leitura diária proporciona momentos de descobertas sobre gêneros textuais diversos, conhecimento de vocabulário, amplo aprendizado da estrutura textual e da diversidade cultural.

O item leitura está integrado à rotina escolar diariamente, uma vez que os conteúdos de natureza escrita permeiam a realidade cotidiana. Sempre acontece aquele momento onde se promovem questões orais de compreensão textual, com o objetivo de auxiliar as crianças a descobrir o que elas sabem e o que precisam saber sobre a história.

Os professores diversificam estratégias para despertar e manter a excelência do hábito da leitura e da compreensão do que se lê. Além de compreender, precisamos desenvolver nos alunos a habilidade de inferir as informações importantes dentro de um texto e selecioná-las.

Além das estratégias, que discutiremos adiante no texto, acontece também o “feedback” referente àquilo que o aluno leu, que pode ser representado oralmente por meio de jogos, reconto, dramatização, teatro de fantoches e desenhos, ou pode ser escrito em forma de um diário, resumo ou resenha.

No que se refere às estratégias, realizam-se algumas práticas desenvolvidas pelo Programa de Ensino MapleBear Global Schools, que está dividido em leitura interativa, leitura compartilhada, leitura guiada e leitura independente. Essas práticas acontecem semanalmente nas salas de aula das séries iniciais, e, por isso, conclui-se que os alunos, por exemplo, do segundo ano do ensino fundamental 1, apropriam-se da leitura de aproximadamente 140 títulos por semestre.

A rotina se inicia sempre com a leitura interativa, que tem como objetivo aproximar os alunos da literatura. Nesse momento, lê-se para todos sentados em roda. O professor realiza predição a partir da 1ª capa para instigar os alunos a pensarem sobre o que lerão, apresenta o título, o autor, o ilustrador e a editora. Para o professor realizar uma leitura interativa interessante e atraente, precisa se preparar e realizar anotações sobre elementos da história que são relevantes para abordar com os alunos.

Quando da leitura compartilhada, todos os envolvidos possuem em mãos um exemplar do livro e acompanham a leitura realizada pelo professor, que fará paradas pontuais e chamará a atenção dos alunos para a ortografia, a estrutura do texto, a pontuação, os destaques em negrito entre outros elementos textuais.

Já na leitura guiada, momento reservado para praticar a leitura, em grupo de cinco alunos mais o professor, cada estudante será convidado a ler uma página, ou um trecho da história selecionada e estudada no momento.

Quando há a leitura independente, em duplas ou trios, os alunos, de modo autônomo, leem os títulos que ficam expostos nas prateleiras da sala de aula. Eles dividem a leitura por páginas, ou por parágrafos, momento que se torna uma diversão por estarem na companhia dos colegas.

O professor, sem dúvida, é um modelo para os alunos, principalmente quando realiza a leitura interativa. Nesse momento, cabe usar e abusar de artifícios, como mudar a voz para cada personagem e, ao mesmo tempo, enfatizar o discurso direto. Outros elementos são as expressões faciais, que agradam bastante o público infantil, e o suspense em relação ao que acontecerá. Nesse ponto da leitura, pode-se deixar o fim para o outro dia, alternativa, por vezes, essencial para manter a atenção das crianças.

A leitura tem o poder de nos conectar a mundos distantes e desconhecidos; de nos desconectar do nosso mundo fadigado e apreciar vidas, sensações e experiências totalmente novas. Com a leitura, tudo é possível, até viajar sem sair do lugar.Ler e viajar com as histórias vividas por cada personagem é pura emoção!

Leia e divirta-se!

 

Andréa Assunção Petroni

Professora do Colégio Santa Amália MapleBear Tatuapé