Além da lição de casa: o que é esperado nesse momento

Colégio Santa Amália

07 Maio 2018 | 15h44

Em muitas escolas, a prática da lição de casa começa desde a Educação Infantil e vai se intensificando com o passar dos anos. Apesar desse tema ainda ser um mito para muitos pais e educadores, a realidade é uma só: a lição de casa existe!

Quando se trata de lição de casa, muitas questões aparecem: que horas iremos fazê-las com nossos filhos? O que a professora quer desta vez? Você prestou atenção no que deve ser feito? Consegue fazer sozinho?

Pensando nisso, procuro tranqüilizar pais, alunos e educadores sobre a prática das lições de casa, desvendando-as e tornando esse momento prazeroso para todos.

No Fundamental I, segmento que leciono, as lições de casa ocorrem diariamente – muitas vezes, mais de uma tarefa, por se tratar de uma escola bilíngue. Acredito que as lições auxiliem no aprendizado das crianças, tanto para aprimorar um conhecimento, quanto para retomar um conteúdo trabalhado em classe, treinar algo necessário para a aprendizagem ou mesmo registrar um conhecimento prévio a ser discutido em sala.

O momento de lição de casa vai muito além de fazer a lição em si!

Arrumar a mochila, organizar o estojo, repor os materiais, escrever um bilhete para a professora sobre algo esquecido ou uma dúvida em relação ao conteúdo também faz parte da tarefa.

Podemos começar por definir os papéis: o que cada um pode fazer sobre a tarefa?

Os professores devem atentar-se para o fato de que uma boa tarefa é aquela que estimula o aprendizado, que ajuda a fixar um conteúdo, que leva o aluno aregistrar suas hipóteses sobre um assunto, finalizar um trabalho iniciado em sala ou mesmo treinar a leitura em voz alta na frente do espelho ou a letra que precisa de um aprimoramento.

É preciso ter um objetivo! Tarefa por tarefa não ajuda!

Ao retomar a tarefa, é importante que o aluno perceba que seu esforço traz recompensas: melhora na leitura, compreensão mais fácil do que foi apresentado no dia anterior, novas conexõese mais envolvimento na aprendizagem.

Criar uma rotina de estudos e de realização das tarefas é fundamental!

Para os pais, indico que ter um horário, um local fixo e materiais disponíveis para a realização da tarefa ajuda bastante! Fazer a lição em um ambiente mais silencioso, longe da televisão ou do cachorro, ajuda na concentração e na execução da tarefa.

Definir um tempo para a execução da tarefa também auxilia! Não acredito que uma criança que demore muito tempo para fazer a tarefa possa fazê-la com prazer. Se o seu filho demora muito para fazer as lições, converse com a professora, busque orientação, talvez ele precise de comandos mais claros ou uma nova rotina de estudos.

“Já fiz tudo isso e mesmo assim meu filho diz: Eu não sei nada!”

Primeiro oriente seu filho: o que você deve fazer? O que sua professora explicou? Você consegue responder oralmente? Vamos ler o enunciado do exercício? O que você não entendeu sobre o enunciado?

Estimule-o a pensar sobre o que deve fazer, sem responder por ele!

No início de um ano letivo, é comum os alunos não quererem fazer as tarefas, uma vez que ela pode ocupar o lugar de uma brincadeira, de um passeio ou de um momento com os pais. Por isso, é tão importante criar uma rotina e incluir nelao momento da lição de casa.

Apoiar as lições de casa ajuda a saber se: o seu filho está realmente se envolvendo e aprendendo durante as aulas, quais as principais dificuldades e facilidades, o que ele gosta de fazer, ou como está se saindo nos estudos.

É importante auxiliar as crianças nas tarefas de forma gradual, de modo que a sua participação passe aos poucos de coadjuvante a espectadora!

Sei que não é fácil ver seu filho escrever uma palavra errada ou mesmo fazer uma tarefa de qualquer jeito. Mas temos que pensar que a tarefa é dele! E é ele quem vai mostrá-las, compartilhar com os colegas. Sugiro sempre que, ao ver algo “diferente”, questione seu filho, mas respeite a opinião e deixe que a última palavra seja a dele.

Ao retornar da escola, retome a tarefa, pergunte, mostre interesse. Esse vínculo ficará mais forte e os momentos de lição de casa serão prazerosos.

E o que é esperado dos alunos no momento da tarefa?

Aluno, leve a mochila para o local combinado, tenha uma caixa com materiais dos outros anos (lápis, borracha, apontador) para repor o que falta ou o que acabou, avise os pais sobre bilhetes na agenda, mantenha um local fixo para deixar os livros e cadernos – como uma prateleira que você possa identificar com facilidade os materiais.

Comece com as lições para o próximo dia. Verifique na agenda e marque com um marca-texto as lições que você já fez.

Caso já tenha feito as lições, organize o estojo, aponte os lápis, limpe a borracha e arrume a mochila para o próximo dia.

É importante manter essa rotina cumprindo o horário para estudar.

Ao realizar as tarefas, relembre as aulas, escreva suas dúvidas e lembre-se que elas o ajudarão nos próximos estudos. É você quem deve fazê-las com empenho e não quem o acompanha neste momento.

Se já fez tudo, mostre aos seus pais que você merece um tempo a mais de brincar ou assistir seu programa favorito!

Temos que pensar em tarefas como algo para aprimorar a aprendizagem e uma ponte entre as famílias e as escolas

Com o passar do tempo, os alunos precisam ter autonomia para realizar as tarefas sem auxílio, mas com supervisão dos pais, afinal,eles são os atores principais e terão os aplausos merecidos quando conquistarem essa autonomia com a sua própria aprendizagem!

 

Andreia Bardez

Colégio Santa Amália MapleBear – Tatuapé