Premiado espetáculo que aborda o bullying é oferecido ao público e integra currículo flexível do Colégio Rio Branco

Premiado espetáculo que aborda o bullying é oferecido ao público e integra currículo flexível do Colégio Rio Branco

A peça O Alvo da Cia. Bigode está com as inscrições abertas para a retirada dos ingressos para o público em geral, estudantes, pais e educadores de todas as escolas

Colégio Rio Branco

22 Março 2018 | 14h55

Com o intuito de compartilhar uma experiência cultural de conscientização sobre a problemática do bullying e os danos acarretados aos envolvidos e à sociedade, o Colégio Rio Branco oferece nos dias 07 e 14 de abril, sábados, respectivamente nas unidades Granja Vianna e Higienópolis, a peça teatral O Alvo, às 18h, aberta ao público em geral, mediante inscrição no site da instituição para a retirada dos ingressos.

Projeto do autor e diretor Pedro Garrafa, o espetáculo foi concebido especialmente para servir de ferramenta para a discussão sobre o problema, que acontece entre as crianças e adolescentes dentro das instituições de ensino, espaços coletivos e na própria família.

Amparado por uma intensa pesquisa sobre o tema, o enredo parte do ponto de vista do agressor e não do agredido, ao trabalhar aspectos até então poucos articulados: a vitimização, as relações de poder entre os pares e a estrutura social dentro da escola.

O projeto O Alvo nasceu da necessidade que Pedro Garrafa, também professor de teatro,  sentiu ao dialogar com seus alunos adolescentes sobre essa questão. Em quase todos os casos, o autor pôde perceber que o bullying quase sempre aparece atribuído aos “outros”, mas quase nunca a si mesmo .

O espetáculo da Cia.do Bigode é vencedor como “Melhor Texto Original” e “Melhor Espetáculo Jovem” do Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem 2015 (antigo Prêmio FEMSA), e foi indicado ao Prêmio Arte e Qualidade 2015 na categoria “Melhor Espetáculo Jovem” e também aos Melhores de 2015.

Depois da peça, os alunos do CRB trabalharão o tema em sala de aula, com o objetivo de trazer a discussão para o currículo escolar com aprofundamento e abordagem interdisciplinar.

Essa é mais uma ação do Colégio Rio Branco, que além de integrar uma perspectiva pedagógica a ser otimizada internamente, também é mais uma iniciativa de fomento ao teatro e à cultura por meio do projeto Espaço Rio Branco: Cultura & Reflexão – aberto à comunidade. Parte da verba arrecadada será destinada ao Centro de Educação para Surdos Rio Branco (CES).

Trabalho interdisciplinar e currículo flexível
De acordo com a nova Base Nacional Curricular Comum (BNCC), já homologada pelo governo para as escolas públicas e privadas de todo o Brasil, as crianças poderão aprender conteúdos diversificados e desenvolver mais habilidades.

Pela nova proposta do texto, os currículos poderão ser adequados a cada sistema e instituição escolar, assim, cerca de 60% do conteúdo deve se basear na BNCC, e o restante será definido pelas próprias escolas, já que o documento não propõe um currículo unificado, pois entende a autonomia dos estados e municípios, além dos aspectos diversos e individuais de cada um.

As competências que devem permear os anos escolares incluem utilizar conhecimentos historicamente construídos sobre os mundos físico, social e cultural para a compreensão da realidade; exercitar a curiosidade intelectual; desenvolver o senso estético para valorização de manifestações artísticas e culturais; utilizar tecnologias digitais de comunicação e informação de forma crítica; valorizar a diversidade; exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação. Além disso, há competências específicas para cada disciplina.

Desde o início de 2018, o Colégio Rio Branco passou a implantar um currículo mais flexível e inovador, com novos componentes curriculares, como por exemplo, a disciplina “Jovem em Perspectiva”, adotada na 8ª série do Ensino Fundamental.

A disciplina tem como objetivo trabalhar os principais temas que envolvem os adolescentes e seu contexto social e individual nessa faixa etária, como a cultura da vaidade, consumismo, drogas, redes sociais, relacionamentos, entre muitos outros.

De acordo com Caio Mendes, professor de História e coordenador de projetos do CRB, “a ideia é estabelecer um canal de debates e reflexão, onde os alunos possam sentir e falar, além de ser, também, um canal de escuta atento que permita um trabalho com maior aprofundamento e consistência pedagógica”, explica.

Além das discussões em aula, os alunos seguem um cronograma de atividades e a realização de trabalhos, como a construção de um blog, já que o componente está inserido no contexto interdisciplinar do Bloco de Linguagens e Humanidade, que inclui os componentes Espanhol, Artes e Redação.

O tema escolhido para o primeiro bimestre é Autoimagem, e no segundo será Redes Sociais. Como tema intermediário da disciplina Jovem em Perspectiva nesse período, os educadores escolheram trabalhar também o tema bullying, por meio da exibição da peça teatral O Alvo.

Sinopse da peça O Alvo
As amigas Amanda, Maria Anna, Rebecca e Nina são inseparáveis desde o Ensino Fundamental, e agora estão na sala de espera da diretoria do colégio. A amizade dessas quatro garotas está ameaçada por causa de um estranho encontro delas com a Maria Claudia, a ‘menina mais zoada do colégio’.

Esse encontro gerou uma pequena briga que tomou proporções graves, quando a menina rolou as escadas e acabou em um hospital, bastante machucada. Em meio a divertidas situações e discussões acaloradas, a trama faz com que elas revelem fatos e opiniões surpreendentes umas às outras, e mudem as suas vidas para sempre.

Classificação indicativa: a partir de 10 anos.

Informações e inscrições para retirada dos ingressos: www.crb.g12.br