A importância do papel do professor como mediador

A importância do papel do professor como mediador

Por Claudia Xavier*

Colégio Rio Branco

31 Outubro 2017 | 12h36

Mediar, mear, repartir, intervir, interceder, perpassar, dar-se entre …

Ao mediar as situações de ensino, o professor se coloca entre o aluno e a aprendizagem. A primeira condição para que isso aconteça é a quebra do paradigma do professor como detentor de todo o saber. É necessário, portanto, despir-se do antigo papel e confiar na nova roupagem.

Mediar é facilitar o processo para que a informação se  transforme em conhecimento e gere novas aprendizagens, não basta responder, é necessário fazer boas perguntas, considerar as experiências educativas que o aluno traz, entende-se aqui, a aprendizagem extrapolando a escola.  O professor tem um papel fundamental na construção de novos saberes, sua responsabilidade aumenta, pois necessita adaptar-se às diferentes linguagens e criar oportunidades para além das situações  educativas, transcendendo a sala de aula. O conhecimento descentraliza-se e flui havendo um encontro democrático, afetivo e efetivo em que os dois , professor e aluno aprendem juntos.

É necessário ter intencionalidade e disponibilidade para instigar o aluno a abraçar o conhecimento, provocar reflexões, despertar o desejo de aprender, fazer conexões contribuindo para a realização da construção autônoma e crítica do conhecimento. Pensar a dinâmica  da sala de aula  permitindo que o ambiente seja colaborativo e proporcione o fazer do aluno sob a orientação do professor, agora tutor, é fundamental. Falar menos, ouvir mais, responder menos, perguntar mais!

O professor não está à frente do conhecimento, nem atrás. Ele se dispõe no meio da travessia, preocupa-se com uma escola viva, com um ambiente inovador e educador. O tempo e o espaço tomam outra dimensão.

Conexão e colaboratividade são características importantes na atuação docente sob essa perspectiva: aprendo com os pares, outros alunos, aprendo com outras pessoas, dentro e fora da escola, conecto-me com o mundo e componho uma rede de saberes sob a perspectiva humana e globalizada. Cabe aqui um professor problematizador, em constante formação, que percorre o mesmo caminho para atualizar-se e aprender. Investir na formação do professor e no compartilhamento de práticas é fundamental no processo.

Cabe aqui outra pergunta: como as escolas podem criar circunstâncias para facilitar a formação e atuação do professor mediador?

* Claudia Xavier Costa Souza é diretora da unidade Granja Vianna do Colégio Rio Branco.
Pedagoga formada pela PUC-SP atua há mais de 30 anos nas áreas de gestão escolar e formação de professores.  Especializada em Gestão de Pessoas pela Fundação Dom Cabral; em Gestão de Conflitos pela USP e em Construção do Projeto Político Pedagógico pela PUC-PR. Pós-graduada em Psicologia Moral e em Psicopedagogia Institucional. Participou do programa de gestão da qualidade pedagógica do governo alemão, ZFA Schulmanagemente Wetmeit – para a Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Tem experiência em Planejamento Estratégico Compartilhado e com seminários sobre alfabetização e metodologia da Língua Portuguesa.