A importância de uma formação global e humanística para resultados em vestibulares

A importância de uma formação global e humanística para resultados em vestibulares

Como experiências acadêmicas diversas podem ajudam na escolha da carreira e no desempenho de aprovados que se destacaram em importantes universidades do país

Colégio Rio Branco

06 Março 2018 | 17h46

Imagem ilustração

Optar por uma carreira pode estar entre uma das escolhas mais difíceis da vida, principalmente na adolescência. Todo esse período pode ser muito complexo para os jovens, já que também estão se despedindo de um importante ciclo escolar, dos colegas, professores e pessoas que lhe foram queridas durante os anos de formação.

Em meio a tantas pressões, que incluem os testes de resultados como Enem e vestibulares, além dos questionamentos sociais e familiares, as expectativas para o mercado de trabalho e o acerto na escolha do curso podem gerar muita angústia. É importante que o estudante seja bem orientado academicamente para buscar desafios em áreas em que realmente sintam que possam fazer a diferença, como profissionais e cidadãos éticos, responsáveis e globais.

Ao longo de todo o Ensino Médio, com muita dedicação, empenho e estudo, os alunos têm a oportunidade de participar de atividades como módulos eletivos, esportes, idiomas, monitoria, teatro, xadrez, workshops, debates e coletivos com temas globais e do cotidiano, ações sociais, provas e simulados, experiências internacionais entre muitas outros projetos, que os ajudam a descobrir preferências e ter um melhor desempenho e orientação para a prática nas áreas que mais se identificam e planejam investir.

A formação de excelência, global e humanística é um dos principais princípios do Colégio Rio Branco para a formação de seus alunos, e por isso, a instituição tem muito orgulho de todos os alunos que ingressaram no Ensino Superior em 2018 e que foram aprovados nos principais vestibulares nacionais e internacionais.

Confira algumas das experiências vivenciadas pelos principais aprovados nos vestibulares 2017, e como elas ajudaram em suas escolhas:

Paulo Nakaya
Aprovado em Química na USP, Unicamp, Unesp e UFSCar

Foi aulas de Química que o aluno desenvolveu sua preferência pela área. O Grupo de Teatro Rio Branco e as simulações diplomáticas do CRBMUN, do Model Congress e do MINUONU o apoiaram na superação de barreiras, como o medo de falar em público. No Clube de Xadrez Rio Branco, desenvolveu a concentração, a velocidade de raciocínio e a noção de lógica. No Módulo Eletivo de Responsabilidade Ambiental, o aluno ampliou seu conhecimento de meio ambiente além de reforçar o gosto pela Química. Durante a expedição científica para a África do Sul, pela Operation Wallacea, o conhecimento teórico aplicado na prática será levado para sempre.

Isabella Cavaretti Cestari
Aprovada em Medicina, na Universidade Cidade de São Paulo e na Universidade de Santo Amaro (Unisa).

Os módulos eletivos e projetos como “Ciências da Natureza”, “Ciências Humanas” e “Matemática” foram peças fundamentais para a conquista da aluna. Os professores de Biologia e Geografia estiveram sempre dispostos a ajudar nas questões dos vestibulares e ficavam depois das aulas para tirar dúvidas e resolver questões. Isabella participou de muitos projetos e atividades no colégio, como o Grupo de Teatro Rio Branco e sua participação no musical “Mamma Mia”, onde atuou e cantou.

Vivian Ivata
Aprovada em Medicina na PUC-Campinas, na Universidade de Medicina do ABC e na Faculdade de Medicina de Jundiaí
Ao longo dos 11 anos que estudou na escola, Vivian integrou diversas atividades que apoiaram o seu desenvolvimento e sua escolha pela área de estudo: vôlei, handball, dança teatro, monitoria, Interact, Desafios de Ciências da Natureza e Matemática, além das simulações diplomáticas do CRBMUN, do MINIONU e do Model Congress.  A expedição científica para Honduras, pela Operation Wallacea, junto com as aulas e laboratórios de Biologia, a ajudaram a decidir pela área.

                                               
Rafael Chehab Canto Pereira
 Aprovado em Engenharia Civil na Unicamp e em Engenharia Mecatrônica no Insper
As professoras de Física, Kate e Ana, tiveram um papel importante do desenvolvimento e na escolha pela carreira. “A Kate me conheceu no 7º ano e, desde então, me incentivou e me fez gostar da área. A Ana também foi uma professora que me ajudou a me interessar por Física e escolher ser engenheiro. Na 2ª série do Ensino Médio, ela propôs a construção de uma ponte de macarrão e essa experiência foi essencial para a realização da prova do Insper, em que eu precisava construir um projeto de um prédio, utilizando palitos e materiais do cotidiano”, explicou Rafael. Os desafios de Matemática e Ciências da Natureza foram importantes apoios para o desenvolvimento do raciocínio lógico do aluno, que também integrou a Monitoria Rio Branco.

Allan Brunstein
Aprovado em Engenharia Elétrica na Poli-USP
O aluno, que estudou no Rio Branco desde o 5º ano do Ensino Fundamental, participou de diversas atividades como robótica, futebol, handebol e Desafios de Matemática e Ciências da Natureza. Segundo ele, as atividades foram fundamentais para que  pudesse construir e aprofundar um raciocínio lógico e substancial para a aprovação no vestibular.

 

                                               

Ricardo Viana
Aprovado em Imagem e Som na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Ao longo dos 12 anos que estudou no colégio, o estudante praticou handebol, voleibol e participou dos Núcleos de Apoio, Desafio de Matemática, Módulos Eletivos, Simulações Diplomáticas, Coletivo Humana Mente, entre outros. A escolha pela área que envolve Cinema deu-se a partir a alguns trabalhos audiovisuais em grupo, com a produção de vídeos, roteiros, direção e edição. Segundo o aluno, o que realmente o fez ter certeza, foi o teste vocacional oferecido pelo colégio. “Assim que saiu o resultado eu conversei com a psicóloga da escola que me ajudou e clareou todas as minhas dúvidas”, explicou.

                                                                                                                                                  Letícia Fernandes Liporoni Martins
Aprovada em Medicina na Faculdade de Ciências Médicas de Santos e na Faculdade de Medicina de Catanduva (FAMECA), em Nutrição na USP, na Unesp e na Federal de Goiás.
A aluna, que estudou no colégio desde o 6° ano do Ensino Fundamental,  participou de muitas das atividades oferecidas pelo colégio e teve experiências como o Grupo de Teatro Rio Branco e a Monitoria, que, para ela, foi como uma grande família. Essa interação, que considera  como“familiar”, foi o que mais contou para seu excelente desempenho nas provas de vestibulares.

Conheça outras histórias em: www.crb.g12.br