Conversa é aula?

Conversa é aula?

Kika Almeida Mendes - Conteúdo Escola Viva

06 Setembro 2017 | 15h04

Uma conversa sobre convívio e gênero. E não vai ter aula?!

No jogo da Escola, volte 5 casinhas. E a pergunta que tem que ser respondida é: o que é aula?. Pergunta difícil de ser respondida. Situação de aprendizagem, espaço de tempo em que alguém ensina e alguém aprende, momento de transmissão de conteúdo… Ok, todas as respostas são válidas, pode avançar 8 casas. Avançando essas casas, a pergunta agora é: uma conversa pode ser uma aula?

Essa é fácil. Dê uma cutucada na memória e, com certeza, você se lembrará de várias aulas, ops conversas, que ‘recebeu’ ao longo da vida. Ótimo, avance 3 casas e você ganhou.


Só que escola não é jogo. Não há dúvida que diariamente avançamos e recuamos muitas casas. Não há dúvida que o desafio é enorme. Não há dúvida que há um caminho a percorrer. Um caminho que pode ser acidentado, mas, na escola, tem um propósito claro: sabe-se aonde se quer chegar!

Além disso, na escola, todo o dia é diferente, porque cada aluno é diferente e cada professor também, e as famílias e os vizinhos e a cidade e o bairro e o clima e todos os acontecimentos de todas essas instâncias.

Por isso, escola e aula têm que ser planejadas, estudadas, refletidas e reflexivas. E é por isso que conversa pode ser ou pode não ser aula.

Uma conversa sobre gênero, planejada, com um foco, com crítica, com escuta e com mediação é uma aula.

E que aula! Qual a metodologia? Qual o plano? Qual a sequência didática? Esse é o trabalho do professor e da escola.

Ontem, dia 5 de setembro, na Escola Viva, para uma conversa sobre esse assunto para os alunos e alunas do Fundamental 2 e Ensino Médio (de 11 a 18 anos), a metodologia foi separar meninas e mulheres e meninos e homens. Os meninos ficaram nas suas unidades e as meninas se encontraram todas no Ensino Médio.

   

O plano foi debater as relações e o convívio entre os gêneros no espaço escolar. O assunto extrapolou os muros da escola, mas, claro, escola e mundo se misturam.   A sequência didática foi assistir ao documentário produzido pela ONU ‘PRECISAMOS FALAR COM OS HOMENS?’ (https://youtu.be/jyKxmACaS5Q) e depois, debater o filme e as impressões e experiências de cada um, neste momento ainda meninas/mulheres e meninos/homens entre si.

E este momento foi fortíssimo. Para os dois grupos. O número de meninas/mulheres presentes, significativamente superior ao de meninos/homens, já foi uma pista do que, num país em que legalmente homens e mulheres têm direitos iguais, na prática acontece.

   

Por que há mais meninas/mulheres querendo falar sobre o assunto convívio e relações de gênero? Os dois gêneros refletiram sobre isso. Todos discutiram sobre relacionamentos, liberdade, sentimentos, humanidade, cultura. Todos se sentiram mais humanos.

Próximo passo: juntar todos para conversar. Aliás, juntar todos para a próxima aula. Daremos notícias.