Educação infantil: adaptação  requer esforço dos pais e escola

Educação infantil: adaptação requer esforço dos pais e escola

Escola Morumbi

06 Fevereiro 2018 | 16h45

Para que a vida escolar seja, desde o início, uma experiência positiva, o processo de adaptação deve ser acompanhado de perto, respeitando a individualidade e tempo necessário de cada criança

O período escolar é bastante positivo para as crianças da Educação Infantil, já que gera crescimento, amadurecimento e ajuda na socialização.

 

Para que a vida escolar seja, desde o início, uma experiência positiva, o processo de adaptação deve ser acompanhado de perto, respeitando a individualidade e tempo necessário de cada criança.


A criança, quando entra na Educação Infantil, precisa participar da rotina escolar. Isso inclui arrumar os materiais, lancheira e se preparar para a aula junto com os pais e responsáveis. Estes afazeres fazem com que ela perceba a importância de seu bem-estar e se sinta participante.

No momento de despedida entre pais e filhos, os adultos precisam se basear na confiança e honestidade. A clareza da despedida é essencial, porque dessa forma os pequenos saberão da volta dos pais e terão uma oportunidade de desenvolver uma relação de confiança e comunicação.

 

Por outro lado, a escola precisa se preparar para receber os novos estudantes. Uma entrevista com os responsáveis e a criança para saber informações e detalhes é importante para que os cuidados e atividades sejam bem planejados.

 

É essencial que as primeiras semanas de escola tenham propostas interessantes a acolhedoras para os pequeninos, que favoreçam o entrosamento com a professora e colegas e que tragam momentos prazerosos.

 

A recepção da criança também precisa ser feita, de preferência, por um dos educadores responsável pela classe, para que haja o reconhecimento e seja estabelecida a confiança. Mesmo assim, os pequenos precisam estar familiarizados com toda a equipe escolar para que se sintam seguros, já que a escola é um espaço coletivo.

 

Os educadores também precisam estar atentos as reações das crianças. O choro não pode ser banalizado, pois é uma forma de expressão. Como solução, o professor pode confortar os pequenos e conversar sobre o reencontro com os pais, além de oferecer atividades atrativas à atenção dos pequenos.

 

Mesmo as crianças mais quietas precisam de atenção, pois o comportamento retraído também pode significar dificuldade de adaptação. Nesse caso, é necessário incluí-las nas atividades, sempre respeitando suas vontades.

 

Objetos de apego, como chupetas, paninhos ou brinquedos, dão segurança por remeter ao ambiente familiar. Por isso, deve-se ensinar a criança os momentos em que eles podem ter esses objetos, sem descarta-los imediatamente.

 

Acima de tudo, a escola precisa ser vista como um mundo de aprendizado, diversão e conhecimento pelos pequenos.

 

O incentivo dos pais é importante para que haja o reconhecimento das qualidades do novo ambiente que a criança frequentará.

 

É um momento em que elas fazem novas amizades, se interessam pelas brincadeiras e atividades pedagógicas.

 

Juliana Chyla Hanfpwurzel, Coordenadora do Ensino Fundamental I – Escola Morumbi Unidade Moema