Ciências: como estimular  a curiosidade e o desejo de aprender

Ciências: como estimular a curiosidade e o desejo de aprender

Escola Morumbi

07 Novembro 2017 | 14h56

 

“Procuramos estimular a necessidade de conhecer e entender os fenômenos físicos, químicos e biológicos, que ocorrem diariamente no ambiente que nos cerca e na natureza de um modo mais abrangente”, conta Marco Antonio Akiau, o professor Marcão, responsável pela disciplina.

 

O ensino de Ciências é uma porta oferecida pelo ambiente escolar para a maior exploração da curiosidade do aluno. Entender e interpretar os fenômenos da natureza que acontecem no dia-a-dia, e suas causas, relaciona uma disciplina trabalhada em sala de aula com as atividades diárias dos estudantes.

No Ensino Fundamental II da Unidade Moema da Escola Morumbi os educadores trabalham a matéria com a exposição dos métodos científicos a partir do questionamento investigativo.

As aulas são focadas no estabelecimento e sedimentação sólida, de analogias constantes dos conceitos estudados com os fatos e vivências do cotidiano dos alunos, os estimulando a entender os fenômenos ao esclarecer dúvidas com afinco e bastante ênfase.

“Procuramos estimular a necessidade de conhecer e entender os fenômenos físicos, químicos e biológicos, que ocorrem diariamente no ambiente que nos cerca e na natureza de um modo mais abrangente”, conta Marco Antonio Akiau, o professor Marcão, responsável pela disciplina.

Cada série dispõe de um conteúdo exclusivo, que será o foco da aprendizagem. No 6º ano, o tema abordado é Educação Ambiental, com estudos da água, solo e ar; o 7º ano dá continuidade ao mesmo tema abordando Ecologia e Biologia, especificamente Botânica e Zoologia; o 8º ano traz a matéria para o lado do corpo humano, estudando sua Fisiologia e Anatomia; e por último, no 9º ano, a disciplina se divide em Química e Física, comentando outros conceitos de Ciências e suas aplicações.

A disciplina é dividida em aulas teóricas e práticas, ministradas por professores distintos.

Em sala, os alunos entram em contato com a parte teórica e conceitos de Ciências, com o conteúdo pragmático exclusivo de cada série. No laboratório, é onde a prática acontece, com a realização de experimentos para a comprovação prática dos conceitos teóricos.

Os professores devem possuir uma didática dinâmica e clara. Quando há exposição do conteúdo, é essencial que o educador trabalhe o momento de aprendizado com ótimo humor, explorando o tema ao buscar apresentar novidades, materiais e exemplos concretos que ilustrem e sejam pertinentes ao assunto trabalhado em sala.

“Esta conduta pode ser, na maioria das vezes, o diferencial entre uma aula e uma ‘gostosa’ aula”, expõe o professor Marcão.

Ele relata que a maioria dos alunos recebe a disciplina com boa vontade e simpatia. Sendo um momento de aprendizado e exploração do próprio saber, daquilo que se vê todo o dia.

Dessa forma, é possível ensinar algo importante intensificando o desejo de aprender que o aluno possui com um ambiente saudável e leve.

“É prioritário termos uma preocupação permanente de estimular a curiosidade de nossos alunos”, diz o professor. “Acreditamos que todos eles precisam sentir prazer e felicidade durante as aulas e nos seus estudos e pesquisas”.