Estresse infantil: saiba como identificar e evitar.

Estresse infantil: saiba como identificar e evitar.

Colégio Bis

22 Dezembro 2017 | 10h24

Algo pode não estar indo muito bem com seu filho, seja no ambiente escolar ou em casa, ocasionando um estresse que apresenta alguns sintomas físicos ou psicológicos. O estresse nada mais é do que uma reação do organismo frente a situações muito difíceis ou muito excitantes, podendo ocorrer também em crianças de qualquer idade, independente do sexo.

 

IDENTIFIQUE OS SINTOMAS

Por muitas vezes, uma agenda cheia de atividades é tão estressante para uma criança quanto para um adulto. Aulas de natação, espanhol, futebol, balé, sessões de terapia — tudo junto — podem acabar conturbando a infância. Brigas constantes entre os pais; mudanças bruscas, como separação dos pais, ou troca de escola; falta de rotina; excesso de críticas e insegurança; violência física e superproteção também podem causar estresse.

É importante avaliar alguns sintomas que se tornam aparentes, como:

– Agressividade;

– Perda ou ganho de peso;

– Dores de barriga e diarreia;

– Gagueira;

– Hiperatividade;

– Ranger de dentes;

– Medo ou choro excessivo;

– Irritabilidade;

– Pesadelos;

– Dor de cabeça;

– Dificuldade para dormir

– Desobediência, entre outros.

Vale lembrar que nenhum sintoma isolado pode ser interpretado como sinal de estresse. É importante verificar se vários sintomas estão ocorrendo ao mesmo tempo para que seja apontado o estresse infantil.

 

COMO EVITAR O ESTRESSE

Apesar de parecer conflitante, manter situações como uma agenda agitada pode, sim, ser possível, tornando os compromissos mais leves e naturais. Uma maneira de fazer isso é transformando os compromissos em brincadeiras para que as crianças não os vejam somente como uma obrigação. Tente inventar brincadeiras na hora de fazer tarefas em que a criança sinta um desconforto.

As cobranças existem, mas o ideal é que elas estejam dentro de um limite aceitável, de forma que eles compreendam a necessidade, porém vejam que seu limite é respeitado. Crie um ambiente onde a criança desenvolva suas habilidades de forma natural e tranquila. Esse será um grande ganho que eles podem levar para a vida adulta!

Os dispositivos eletrônicos também podem ter relação com o estresse infantil, já que ao ficarem conectados, acabam se sentindo mais pressionados e bombardeados com informações de todos os lados, mesmo que seja de forma indireta. O ideal é controlar a quantidade de notificações, garantindo a atenção e reduzindo os estímulos. Acredite: o excesso de informações cansa sem que eles percebam.

Lembre-se: criar um tempo livre para as crianças é muito importante, já que será nesses momentos que elas descobrirão as coisas livremente, por conta própria. Esse ponto faz muita diferença, além de ser uma ótima maneira de relaxar.

 

COMO AJUDAR COM O ESTRESSE

Tente identificar o que está estressando seu filho. Se possível, diminua a pressão que ele está sofrendo. Não o poupe em demasia. A criança que é muito protegida não desenvolve imunidade ao estresse.

Quando não for possível protegê-lo do estresse excessivo (como no caso de um falecimento na família, mudança de cidade, etc.), é necessário fortalecer a criança para lidar do melhor modo possível com a situação. O auxílio da família é fundamental para amenizar essa condição da vida moderna.