As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Atividades extracurriculares: hora de pensar e escolher

Thais Gonzales

28 Novembro 2017 | 09h56

Além da escola, há vários cursos extracurriculares que podem trazer resultados positivos para as crianças. Na dose certa, trazem diversos benefícios, como desenvolvem a autonomia, a autoconfiança e promovem novas amizades.

No Colégio Alicerce, por exemplo, existe uma programação bem completa com foco, especialmente, no esporte. Ballet, judô, vôlei, futsal, handebol, ginástica artística e capoeira podem ser feitos em horário alternativo. Tem também xadrez, robótica e teatro.

Essas atividades não trabalham apenas os padrões básicos de movimentos, ensinam conceitos importantes sobre respeito ao próximo e a si mesmo. A criança aprende a competir, a lidar com derrotas e vitórias, a respeitar e a ter disciplina, entre outros aspectos.

Que tal começar a conversar sobre o assunto agora para organizar a rotina do próximo ano?

Como escolher

As famílias costumam ficar em dúvida sobre qual atividade extra escolher. O primeiro passo para fazer uma boa escolha é se atentar aos interesses do aluno. Ele só vai se comprometer se realmente for algo prazeroso para ele. Para que ninguém se frustre, não decida sozinha/o.

Equilíbrio

Segundo a equipe pedagógica do Colégio Alicerce, é importante não sobrecarregar a criança ou o adolescente. Se a família conseguir aguardar o filho mostrar interesse pela atividade, terá mais chance de sucesso.

Equilibrar a rotina para que ele também tenha tempo livre para brincar, descansar e curtir um tempo sem compromisso faz parte do desenvolvimento saudável.

Se desistir

Ainda que a escolha tenha sido feita pelo filho, não é incomum ele desistir. Mostre que para concluir que realmente não gostou é preciso fazer a atividade por um tempo. Se realmente estiver certo de que não quer, deixe desistir e busquem outra opção.