Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Educação

Educação » Um guia definitivo para o ensino superior no Reino Unido

Educação

Um guia definitivo para o ensino superior no Reino Unido
0

Andrea Tissenbaum

04 Março 2016 | 12h48

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Para realizar o sonho de estudar fora do Brasil, é importante ter foco, persistência e sobretudo, organização. Os processos de admissão costumam envolver um cronograma puxado de datas, inscrições e envio de documentos que exige dos candidatos um certo preparo para o cumprimento de todas as etapas.

Mas, no Reino Unido, os processos das instituições de ensino são tão bem estabelecidos que os estudantes conseguem se preparar com antecedência.

Formado pela Grã-Bretanha (Escócia, Inglaterra e País de Gales) e Irlanda do Norte, o Reino Unido abriga três das dez melhores universidades do mundo, de acordo com a publicação especializada Times Higher Education. A excelência do sistema de ensino é reconhecida internacionalmente e, todos os anos, atrai milhares de estudantes estrangeiros.

Para aqueles que estão interessados ou planejam estudar na terra da Rainha, o British Council, organização internacional do Reino Unido para educação e relações culturais, preparou este guia definitivo. 

1. Entendendo como funciona o ensino superior

O ensino superior no Reino Unido é voltado a estudantes de 18 anos ou mais (na Escócia, a idade mínima é 17 anos), e está dividido em duas etapas:

  • Cursos de graduação: incluem bacharelados, preparatórios, diplomas nacionais (higher national diplomas), entre outros.
  • Cursos de pós-graduação: são os mestrados, MBAs, doutorados e outros. Normalmente, para cursá-los, você precisa ter concluído um curso de graduação.

O ano letivo começa em setembro e vai até julho do ano seguinte. Porém, algumas instituições oferecem datas de início de períodos letivos mais flexíveis, com cursos começando, por exemplo, em janeiro ou fevereiro. Saiba mais AQUI.

>> Quer informações mais detalhadas sobre instituições e cursos do Reino Unido? Confira estes sites:

 The official website for comparing UK higher education course data

 Universities and Colleges Admissions Service

 National Careers Service

 Prospects

2. Faça o exame de proficiência:

Não tem jeito: para ingressar no ensino superior britânico seu inglês precisar estar bem afiado! Essa exigência, na verdade, existe para assegurar que os alunos estrangeiros aproveitem ao máximo a experiência nas universidades britânicas.

Todos os cursos superiores e até alguns de curta duração exigem a comprovação do domínio da língua inglesa. O IELTS, que é o exame mais popular do mundo, possui, inclusive, uma versão específica para quem deseja tirar o visto britânico.

Ou seja, é muito importante que seu plano para fazer um curso no Reino Unido inclua uma preparação específica para o IELTS.

Você pode treinar o inglês no site LearnEnglish do British Council, que conta com uma rica coleção de vídeos, áudios e textos, além de uma série de dicas sobre como se preparar para os exames de proficiência.

Outra opção de preparação é o Road to IELTS, o popular curso online que oferece recursos pagos e gratuitos.

As universidades e faculdades britânicas têm políticas diferentes sobre o prazo de entrega do seu resultado no IELTS. Algumas instituições solicitam o resultado assim que você se inscreve para o curso, enquanto outras preferem fazer uma avaliação inicial de sua inscrição antes de pedir o certificado do IELTS. Ao montar seu plano de estudos, verifique qual é a política de cada instituição em relação ao IELTS.

3. Processo seletivo:

O processo de inscrição na educação superior do Reino Unido pode ser feito através do site Universities and Colleges Admissions Service, mais conhecido pela sigla UCAS. 

Verifique o prazo de inscrição da sua instituição. Para a maioria dos cursos o limite é janeiro, mas também há prazos mais tardios, como março ou outubro. Candidatando-se mais cedo você terá mais chances de conseguir um lugar no curso desejado.

4. Escreva sua carta de apresentação ou “supporting statement”:

Esta é a sua chance de mostrar às universidades e faculdades por que você escolheu aquele curso e aquela instituição, e por que você seria um ótimo aluno. Escrever o supporting statement pode tomar algum tempo e é bom que seja revisado por professores, conselheiros ou pela sua família. Portanto, é válido você já ir pensando no que pretende escrever.

5. Corra atrás do visto:

Todas as questões sobre imigração e concessão de vistos para o Reino Unido são controladas pelo UK Visas and Immigration, o órgão do governo responsável pela entrada de estrangeiros nos países da região.

Atualmente, o visto é obrigatório para brasileiros que vão realizar cursos universitários, sendo recomendado entrar com o pedido pelo menos três meses antes do início das aulas. No caso de cursos universitários de graduação e pós-graduação, o estudante deve apresentar o CAS, um número de referência único que é enviado pela universidade.

Para mais informações, inclusive sobre a possibilidade de trabalhar durante os estudos, acesse este LINK.

6. Calcule os gastos:

Antes de efetuar sua inscrição, é fundamental que você prepare um orçamento muito detalhado, para você ter uma visão bem clara de quanto custará a experiência. O valor do curso provavelmente será a sua maior despesa, mas há outros gastos que devem ser considerados, como transporte, alimentação, compra de livros e mais.

Utilize o recurso “International Student Calculator”, uma espécie de calculadora de gastos para estudantes. 

O site Education UK, do British Council, oferece uma página com dicas de planejamento financeiro e uma lista de bolsas de estudo para o Reino Unido, como a Chevening Scholarship.

E, lembre-se: keep calm and study in the UK!

Foto: Jiri Hodan via Wikimedia Commons

Foto: Jiri Hodan via Wikimedia Commons

Fonte: British Council

Comentários