Programas de verão em universidades dos EUA

Programas de verão em universidades dos EUA

Andrea Tissenbaum

20 Agosto 2015 | 08h30

Foto: Marina Sutija | Group Hug

Foto: Marina Sutija | Group Hug

Os programas de verão de universidades dos Estados Unidos como Stanford, Yale e Notre Dame têm atraído cada vez mais brasileiros nas férias de junho a agosto. Para conquistar vaga nesses cursos, os candidatos precisam estar matriculados no ensino médio e aplicar para um processo seletivo que envolve, entre outras coisas, entregas de cartas de recomendação e de essays (redações) com justificativa de interesse. Dependendo da universidade, os estudantes são até entrevistados por um representante da instituição, como se fosse um recrutamento para a graduação.

Os summer programs têm curta duração e ocorrem nas férias das universidades. Os estudantes participam de aulas teóricas e práticas conduzidas por docentes ou estudantes de pós-graduação, além de atividades culturais e esportivas. Durante todo o programa, ficam hospedados nos dormitórios das universidades. O objetivo é mostrar aos alunos o funcionamento da universidade e “conquistar os corações” de jovens de alto potencial.

Atualmente no 3º ano do ensino médio, Pedro Henrique Cardoso Navarro, de 17 anos, já participou de dois programas de verão. Em 2013 ele foi para a Universidade de Notre Dame, no Estado de Indiana, e em 2015 passou uma temporada em Stanford, na Califórnia.

Foto: Pedro Henrique Navarro | Representando o Motivando o Futuro, meu projeto social, no Best Delegate

Foto: Pedro Henrique Navarro | Representando o Motivando o Futuro, meu projeto social, no Best Delegate

Morador de Sorocaba, no interior de São Paulo, o jovem conheceu a oportunidade de estudar fora por meio do Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos (Ismart), entidade que concede bolsas de estudo em escolas particulares de excelência a alunos de baixa renda. Pedro é bolsista integral do Ismart no Colégio Uirapuru.

“Da primeira vez, o Ismart divulgou o iLED, programa de Notre Dame, e eu me inscrevi no processo seletivo. Conquistei uma bolsa e, lá na universidade, participei de cursos em vários departamentos. Estudei Business, Física, Arquitetura, Empreendedorismo, Liderança e também tive a oportunidade de conhecer a cidade de Chicago como parte do programa”, diz Pedro. Segundo ele, a experiência no exterior mostrou que “vale a pena correr atrás de oportunidades e conhecer novas culturas”.

Foto: Pedro Henrique Navarro | Nosso grupo, os Munsters

Foto: Pedro Henrique Navarro | Nosso grupo, os Munsters

Pedro voltou do intercâmbio determinado a fazer faculdade nos Estados Unidos. Seu sonho é estudar Engenharia e ele está sendo preparado para o application pela Fundação Estudar e pela EducationUSA, centro de orientação ligado ao Departamento de Estado dos Estados Unidos. Para conhecer melhor a universidade dos sonhos, Stanford, concorreu a uma bolsa para um summer program em Cosmologia. Pedro conseguiu a vaga, mas não tinha dinheiro para as passagens aéreas. Ele então criou uma campanha online para levantar a verba – e conseguiu. Ficou 20 dias na Califórnia, entre junho e julho.

Neste ano, outros 11 bolsistas do Ismart também participaram de cursos de verão nos Estados Unidos. Cinco foram para Notre Dame e seis para Yale, entre eles Marina Sutija, do 3º ano do ensino médio no Colégio Sidarta, de Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo. No programa Explo at Yale, Marina fez aulas sobre Engenharia Sustentável e Química Ambiental, visitou outras universidades (Brown e Fairfield) e até passeou por Nova York (com direito à entrada em dois musicais da Broadway). Tudo isso acompanhada de outros jovens do mundo inteiro.

Foto: Marina Sutija | Aula de Química Ambiental

Foto: Marina Sutija | Aula de Química Ambiental

“Fui transformada por esta experiência de um jeito que eu não esperava. Hoje me sinto mais decidida e segura sobre os meus sonhos e aspirações”, afirma Marina, que também deseja cursar o ensino superior nos Estados Unidos e está sendo preparada pela EducationUSA. “Valeu muito a pena ter a oportunidade de conhecer Yale, que já era onde eu queria estudar antes mesmo do summer program.”

Foto: Marina Sutija | Aula de Engenharia Sustentável

Foto: Marina Sutija | Aula de Engenharia Sustentável

Para acompanhar a rotina dos bolsistas do Ismart visite o BLOG.

Sobre o Ismart:
Criado em 1999, o Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos (Ismart) é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que identifica jovens talentos de baixa renda, de 12 a 15 anos de idade, e lhes concede bolsas em escolas particulares de excelência e o acesso a programas de desenvolvimento e orientação profissional, do ensino fundamental à universidade.

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Siga o Blog da Tissen no Facebook e no Twitter

Fonte: Ismart