Programa Ciência sem Fronteiras – Graduação

Programa Ciência sem Fronteiras – Graduação

Andrea Tissenbaum

14 Dezembro 2014 | 20h06

Imagem: http://agenciabrasil.ebc.com.br/

Imagem: http://agenciabrasil.ebc.com.br/

Durante todo o mês de Julho deste ano visitei algumas universidades americanas e inglesas. Em todas elas, tive o prazer de ouvir de Diretores de Departamento e Reitores que ali estavam estudando vários alunos brasileiros, bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras. Uma oportunidade extraordinária!

O processo pode ser um pouco trabalhoso, mas vale muito a pena. Abaixo, um passo a passo do programa e do que voce deve fazer para participar.

O que é?
Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.
O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no Programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior.

Quem pode Participar:
Alunos que estejam matriculados em cursos das áreas prioritárias contempladas e em instituições de ensino superior que aderiram ao programa.
• Para saber se a instituição de ensino em que você estuda aderiu ao programa, busque o representante (pesquisando pelo nome do coordenador, instituição ou sua sigla): http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/busca-do-representante1
• Caso a sua instituição não esteja relacionada, procure o departamento em que está matriculado e informe que efetuou a inscrição no programa, pedindo encaminhamento do Termo de Adesão ao reitor da sua universidade.

Áreas Contempladas
• Engenharias e demais áreas tecnológicas;
• Ciências Exatas e da Terra;
• Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
• Computação e Tecnologias da Informação;
• Tecnologia Aeroespacial;
• Fármacos;
• Produção Agrícola Sustentável;
• Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
• Energias Renováveis;
• Tecnologia Mineral;
• Biotecnologia;
• Nanotecnologia e Novos Materiais;
• Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;
• Biodiversidade e Bioprospecção;
• Ciências do Mar;
• Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);
• Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
• Formação de Tecnólogos.

O candidato deverá cumprir com os seguintes requisitos:
• Ser brasileiro ou naturalizado;
• Estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no Brasil em cursos relacionados às áreas e temas contemplados pelo Ciência sem Fronteiras;
• Ter sido obtido nota do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM – igual ou superior a 600 pontos considerando os testes aplicados a partir de 2009;
• Possuir bom desempenho acadêmico (boas notas, média geral alta).
• Ter concluído no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso de graduação no momento de início da viagem de estudos.
• Proficiência no idioma aceito pela instituição de destino (de acordo com os requisitos do Programa CsF, consultar editais).
• Os candidatos que atenderem a todos os requisitos, mas não obtiverem o nível mínimo de proficiência poderão a critério da CAPES e do CNPq serem beneficiados com cursos a distância no Brasil e presenciais no exterior.
• Não ter usufruído de bolsa de graduação sanduíche no exterior, financiada no todo ou em parte, pela CAPES ou pelo CNPq.

Será dada preferência aos candidatos que:
• Tenham recebido prêmios em olimpíadas científicas no país ou exterior;
• Tenham sido ou sejam bolsistas de iniciação científica ou tecnológica do CNPq (PIBIC/PIBITI) ou do PIBID da CAPES.

Benefícios:
• Mensalidade de bolsa;
• Auxílio-Instalação;
• Auxílio material didático
• Passagens aéreas;
• Seguro Saúde.

Duração da bolsa:
• 12 meses, podendo estender-se até 18 meses quando incluir curso de idioma;
• O prazo de curso de idioma é apresentado na Chamada, variando de país a país e de acordos firmados com as universidades no exterior.

Você se encaixou no perfil de aluno elegível?
Então entenda o processo de candidatura para o Ciência sem Fronteiras:

1. Leia o edital para o país para o qual você quer ir. O programa divulga editais 2 vezes ao ano no site do Ciência sem Fronteiras:
http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf
2. Faça o teste de proficiência de idiomas – confira o edital do país para o qual você quer ir para saber quais são as exigências:
http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/paises
3. Inscreva-se no site Ciência sem Fronteiras. Esta é a inscrição que deve fazer para concorrer à bolsa:
http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/inscricoes-resultados
4. Faça seu passaporte:
Você vai precisar do seu passaporte quando for fazer a inscrição na Instituição de Ensino Parceira. Faça seu pedido pelo site da Polícia Federal:
http://www.dpf.gov.br/servicos/passaporte/passaporte
É recomendável viajar com um passaporte novo ou quase novo. O passaporte brasileiro tem 5 anos de validade e não deve vencer antes ou durante a sua viagem.
5. Inscrição no parceiro do país (quando houver):
Você receberá um e-mail para se cadastrar no Parceiro (órgãos que gerenciam as inscrições em universidades), mas isso não quer dizer que já foi aprovado no programa! O Parceiro vai escolher, junto com a Capes e/ou CNPq a universidade na qual você vai estudar, qual é a mais adequada para você. Alguns países não tem Parceiro e as universidades fazem contato diretamente com você. Exemplos de Parceiros:
DAAD (Alemanha); Campus France (França); IIE (Institute of International Education – USA), e mais:
http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/paises
6. Faça o seu VISTO. Você poderá cuidar do seu visto quando receber:
• Carta de aceitação da Instituição de Ensino de destino;
• Carta de benefício emitida pela CAPES e/ou CNPq
• Mais informações sobre visto podem ser encontradas nos sites dos consulado ou embaixada do país de destino.

7. É tudo! Faça uma boa viagem e tenha uma maravilhosa experiência internacional!
Certifique-se quais são as exigências da sua Instituição de destino para os bolsistas do Ciência sem Fronteiras durante o seu período no exterior e no retorno.

PARA MAIS INFORMAÇÕES VISITE O SITE DO PROGRAMA:
http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/home 

Fonte: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/o-programa

Curta e Acompanhe o Blog da Tissen pelo Facebook. Siga o Blog da Tissen pelo Twitter.