Porque decidi criar este blog

Porque decidi criar este blog

Andrea Tissenbaum

07 Outubro 2014 | 23h18

Foto: Andrea Tissenbaum (meu primeiro passaporte)

Foto: Andrea Tissenbaum (meu primeiro passaporte)

Viajei muito. Desde que me entendo por gente entrar e sair de um avião eram sinônimo de feijão com arroz.

Cresci falando dois idiomas em casa, onde começávamos as frases em português e terminávamos em espanhol (ou melhor, en porteño)… Cresci em duas cidades. Durante o ano, eu era o Rio de Janeiro, uma privilegiada nativa da cidade maravilhosa. E, nos meses de férias escolares, eu era de mi Buenos Aires querido.

Como viajar fazia parte da minha rotina, tive a oportunidade de visitar muitos lugares. No Brasil e fora dele. E de aprender tudo o que eu podia em cada pedacinho de terra nova que eu pisava.


Aprendi inglês como nativa, me atrevi a aprender francês. Aprendi que sou muito atrevida, não tinha vergonha de tentar. Me comunicar bem era uma necessidade pessoal, uma questão de sobrevivência.

Lá pelos meus 20 anos, tinha planos de ir para a Europa estudar. Mas, fui parar nos EUA e fiquei fora seis anos. Um ano num típico ‘college town’ no meio-oeste, numa cidadezinha próxima a Chicago. Na sequência, me mudei para a California, onde acabei ficando por cinco anos.

Estudei, trabalhei, terminei o que fui fazer lá e voltei pro Brasil.

E nunca mais fui a mesma pessoa.

Viver fora do país da gente muda tudo. Muda o jeito de pensar, o jeito de lidar com a vida, de tratar as pessoas, de se relacionar.

É uma experiência extraordinária.

É você quem chega. E tem que aprender a conviver com outras culturas, com outras formas de viver e de pensar.

“Resetar” o jeito em que está acostumado a fazer as coisas e aprender novos jeitos.

Você fica mais aberto, mais flexível. Adapta-se com mais facilidade, fica mais descolado.

Sente saudades, é claro, sofre um pouco com as diferenças e as novas informações. Sente falta dos cheiros, da comida, da paisagem.

E passa a entender melhor quem você é, o lugar de onde você veio e o que realmente valoriza.

Como alguém me disse há anos: o mundo é muito grande pra gente passar o resto da vida na cidade onde nasceu.

Eu nunca mais parei…

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Siga o Blog da Tissen no Facebook e no Twitter

Foto: arquivo pessoal da autora. Não pode ser reproduzida sem autorização prévia.