A experiência de estudar na Arábia Saudita

A experiência de estudar na Arábia Saudita

Andrea Tissenbaum

25 Julho 2017 | 13h05

Rafael Lavrado | KAUST | Foto: Rafael Lavrado

Rafael Lavrado | KAUST | Foto: Rafael Lavrado

Rafael Lavrado, engenheiro carioca, fala sobre seu mestrado na King Abdullah University of Science and Technology, Arábia Saudita. Confira!

Quando alguém pensa em estudar no exterior, a Arábia Saudita dificilmente é um destino cogitado. No entanto, pouca gente sabe que lá existe uma universidade internacional cuja incrível estrutura não deixa nada a dever às melhores universidades do mundo. E que ainda oferece excelentes bolsas de estudo!

Trata-se da King Abdullah University of Science and Technology (KAUST).

Inaugurada em agosto de 2009, a KAUST, foi um ousado projeto do Rei Abdullah (1924-2015). Em menos de dois anos, uma cidade universitária completa foi construída à beira do Mar do Vermelho. Além disso, a KAUST tinha como proposta ser a primeira instituição superior de ensino mista da Arábia Saudita.

KAUST, Arábia Saudita | Foto: Rafael Lavrado

KAUST, Arábia Saudita | Foto: Rafael Lavrado

Focada em ciência e tecnologia, a KAUST oferece programas de mestrado e doutorado em três áreas principais: engenharias, ciências biológicas e computação. O principal objetivo da KAUST é investir em tecnologia de ponta. Pesquisa em energias renováveis e sustentabilidade são prioridade nesta universidade.

Estudar na Arábia Saudita

Após um rigoroso processo seletivo ao redor do mundo, estudantes de mais de 60 nacionalidades foram escolhidos para integrar a primeira turma da KAUST. Rafael Lavrado, 31 anos, formado em engenharia eletrônica pela UFRJ, foi um dos seis brasileiros selecionados para a turma inaugural.

“Foi uma decisão difícil ir para um destino tão exótico, não tínhamos muita referência na época. Mas o que me animou foi a oportunidade única de fazer parte da primeira turma de uma universidade com um projeto tão grandioso”, ele conta.

Rafael acrescenta que durante esta experiência quebrou alguns paradigmas e preconceitos. “Por incrível que pareça, o país é seguro, e os sauditas com quem convivemos tinham uma cabeça muito aberta e foram extremamente receptivos. Além disso, o campus é como se fosse uma pequena cidade fechada, com excelente infraestrutura e várias opões de lazer. A KAUST se preocupou ao máximo em criar um ambiente internacional, onde as leis rígidas do país não são aplicadas”.

Rafael Lavrado e turma de mestrado KAUST | Foto: Rafael Lavrado

Rafael Lavrado e turma de mestrado KAUST | Foto: Rafael Lavrado

A qualidade do ensino também surpreendeu o brasileiro. “As salas de aula e laboratórios eram de primeira linha. Nunca vi algo parecido. Também foi muito interessante ter aulas com professores vindos de universidades americanas renomadas, como MIT, Stanford e Cornell”.

A KAUST também mantém convênios e parcerias com grandes empresas. Para os alunos, isso se reflete em oportunidades de experiências profissionais relevantes. Durante seu mestrado de dois anos, Rafael embarcou para Nova York, onde participou de um summer job na IBM.

Ao final do curso, muitos estudantes costumam receber ofertas de trabalho na Arábia Saudita, em especial na Saudi Aramco, a maior empresa de petróleo do mundo. Apesar de ter recebido uma excelente proposta para ficar por lá, Rafael decidiu voltar para o Brasil. Queria trabalhar em um fundo de investimentos. Hoje avalia que sua experiência na KAUST foi fundamental para conseguir essa posição. “Uma experiência diferente como essa chama a atenção dos recrutadores, que recebem centenas de currículos relativamente parecidos de pessoas recém-formadas”.

Rafael reforça que esta foi uma das melhores decisões de sua vida e relata detalhadamente sua experiência no e-book Arábia: a incrível história de um brasileiro no Oriente Médio. “Tão importante quanto o título de mestre em engenharia elétrica, a bagagem cultural que ganhei teve um peso fundamental. Estudei com pessoas do mundo todo, conheci novas culturas e lugares, foi incrível!”

Formatura na KAUST | Foto: Rafael Lavrado

Formatura na KAUST | Foto: Rafael Lavrado

Inscrições Abertas

Com quase oito anos de existência, o plano de excelência da KAUST parece estar dando certo. Mais de 8.300 artigos foram publicados desde a sua inauguração, o que a torna líder mundial pela QS World University Rankings em citações por corpo docente.

A KAUST também se destaca pela inovação. Já conta com 29 startups nascidas na incubadora da universidade e mais de 375 patentes aplicadas.

Para os interessados, é possível concorrer a uma vaga, fazendo a inscrição no site da universidade. Os selecionados recebem benefícios atraentes que incluem, dentre outros, bolsas de estudo de 20 a 30 mil dólares ao ano, passagem, plano de saúde e acomodação. Vale a pena conferir!

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionaisSiga o Blog da Tissen no Facebook, Twitter e Instagram.