TRANSPORTE ESCOLAR É COISA SÉRIA !!

TRANSPORTE ESCOLAR É COISA SÉRIA !!

Do Colégio

16 Maio 2017 | 09h00

Condutor Escolar do Colégio Aprendendo a Aprender

Quando um pai transporta o seu filho no carro já é uma grande responsabilidade, imagina transportar 22 crianças de famílias diferentes?

Essa é a responsabilidade que tem o nosso condutor escolar Edson, 50, que trabalha há 18 anos nesta profissão.  

Edson começou na área graças ao interesse de sua esposa, mas pelo vínculo que criou com cada criança não quis mais largar.

Segundo ele, o ponto forte deste trabalho é amar o que faz e acompanhar o desenvolvimento de casa criança e sua inclusão social. Já o ponto fraco é acabar se envolvendo demais com as mesmas e depois sentir falta quando elas vão embora.

Um dos momentos inesquecíveis para ele foi quando um de seus passageiros, de 12 anos, que ele já levava há 5, disse que gostaria que ele fosse seu pai. E realmente é assim que ele se sente.

São tantas histórias que acontecem dentro da van que ninguém imagina.  

Atualmente, Edson, trabalha com crianças de 1 a 16 anos, porém tenta não misturar as faixas etárias. 

“O trânsito de hoje é complicado, é estressante e quando estou com as crianças, acaba sendo mais ainda, pois me preocupo com o horário e os pais começam a ligar querendo saber onde estão os filhos e eu não posso fazer nada” relata o condutor. A relação com os pais é um pouco mais complicada, mas é muito gratificante quando eles reconhecem o carinho e o tratamento que foi dado ao filho. 

Edson trabalha no Colégio Aprendendo a Aprender e só tem a agradecer desde a direção até o pessoal da limpeza pelo carinho e respeito com que é tratado. Considera o colégio como uma segunda casa.

TRANSPORTE ESCOLAR É COISA SÉRIA!!

Quando um pai transporta o seu filho no carro já é uma grande responsabilidade, imagina transportar 22 crianças de famílias diferentes?

Essa é a responsabilidade que tem o nosso condutor escolar Edson, 50, que trabalha há 18 anos nesta profissão.  

Edson começou na área graças ao interesse de sua esposa, mas pelo vínculo que criou com cada criança não quis mais largar.

Segundo ele, o ponto forte deste trabalho é amar o que faz e acompanhar o desenvolvimento de casa criança e sua inclusão social. Já o ponto fraco é acabar se envolvendo demais com as mesmas e depois sentir falta quando elas vão embora.

Um dos momentos inesquecíveis para ele foi quando um de seus passageiros, de 12 anos, que ele já levava a 5, disse que gostaria que ele fosse seu pai. E realmente é assim que ele se sente.

São tantas histórias que acontecem dentro da van que ninguém imagina.  

Atualmente, Edson, trabalha com crianças de 1 a 16 anos, porém tenta não misturar as faixas etárias. 

“O trânsito de hoje é complicado, é estressante e quando estou com as crianças, acaba sendo mais ainda, pois me preocupo com o horário e os pais começam a ligar querendo saber onde estão os filhos e eu não posso fazer nada” relata o condutor. A relação com os pais é um pouco mais complicada, mas é muito gratificante quando eles reconhecem o carinho e o tratamento que foi dado ao filho. 

Edson trabalha no Colégio Aprendendo a Aprender e só tem a agradecer desde a direção até o pessoal da limpeza pelo carinho e respeito que é tratado. Considera o colégio como uma segunda casa.