Brasil: Escola de bandidagem
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasil: Escola de bandidagem

Newton Campos

24 Dezembro 2017 | 13h01

Ao ler os jornais, com meu filho pequeno sentado no meu colo, fico tentando imaginar o Brasil que ele herdará de nós. O indulto de natal assinado na surdina pelo presidente Michel Temer esta semana praticamente sepultou a Lava Jato, institucionalizando algo que, no fundo, todos já sabíamos: o Brasil é a doce terra da impunidade, onde somos perdoados por roubarmos e matarmos (ou alguém ainda pensa que o dinheiro desviado de estradas, escolas e hospitais não mata?).

Se apoiando em leis flexivelmente interpretadas para os seus próprios interesses, tanto o leniente presidente Michel Temer (escolhido vice pelo então presidente Lula) como o presunçoso ministro Gilmar Mendes (escolhido ministro pelo então presidente FHC) nos ensinam em alto e bom tom, do ápice de suas carreiras: o crime compensa! FHC, Lula e Dilma nos ensinam que “deixar roubar” é sinônimo de governabilidade no Brasil.

Embora eu seja ateu, gosto de estudar e debater diferentes movimentos religiosos. Aprecio grande quantidade dos valores humanos pregados pela maioria das religiões e por suas linhas de pensamento (ex: ordens religiosas como as dos Jesuítas, dos Barnabitas, etc). Penso que estes valores nos ajudam a viver em sociedade e a evoluirmos como pessoas. Mas a inversão de valores se tornou tamanha no Brasil que poderíamos até alegar que os 10 mandamentos do velho testamento se voltaram ao contrário. Vejam só, listei cada mandamento seguido por uma releitura rápida:

• 1º – Adorar a Deus e amá-lo sobre todas as coisas.
Brasil de 2017: Ignore Deus completamente ou use-o apenas para perdoar seus pecados e limpar sua consciência.

• 2º – Não usar o Santo Nome de Deus em vão.
Brasil de 2017: Use o nome de Deus o tempo inteiro, principalmente se for para mostrar o quão “humano” e “justo” você é.

• 3º – Santificar os Domingos e festas de guarda.
Brasil de 2017: Domingo é dia de Shopping, Páscoa é semana de chocolate e Natal é semana de panettone e muitos presentes supérfluos. E os feriados para a reflexão, de tradição judaica, se tornaram feriados para churrasco e cerveja.

• 4º – Honrar pai e mãe (e os outros legítimos superiores).
Brasil de 2017: Humilhar ou aproveitar-se de pai e mãe e desrespeitar legítimos superiores como policiais ou professores.

• 5º – Não matar (nem causar outro dano, no corpo ou na alma, a si mesmo ou ao próximo).
Brasil de 2017: Matar, matar, matar! Nos tornamos o país mais violento do mundo nos últimos anos, e isso com a maior restrição de acesso a armas por parte da população da história do Brasil.

• 6º – Guardar castidade nas palavras e nas obras.
Brasil de 2017: Solte o verbo: use palavras de baixo calão como parte do seu vocabulário corrente e insulte as pessoas o máximo que puder.

• 7º – Não furtar (nem injustamente reter ou danificar os bens do próximo).
Brasil de 2017: Roube tudo o que puder, sempre! Principalmente se for algo público.

• 8º – Não levantar falsos testemunhos (nem de qualquer outro modo faltar à verdade ou difamar o próximo)
Brasil de 2017: Minta e invente o que puder para difamar o próximo e se dar bem.

• 9º – Guardar castidade nos pensamentos e desejos.
Brasil de 2017: Cultive pensamentos sujos e negativos, reclame de tudo e de todos.

• 10º- Não cobiçar as coisas alheias.
Brasil de 2017: Cobice as coisas alheias. Cultive sua inveja e passe a chamá-la frequentemente de “inveja branca”.

Brasil: desordem e retrocesso.

Feliz Natal para todos!