O aluno é o aluno? A biometria está chegando
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O aluno é o aluno? A biometria está chegando

Newton Campos

06 Setembro 2012 | 08h49

Ainda tenho bastante material do curso que estou fazendo para compartilhar com vocês, mas para não ficar muito repetitivo (os assuntos sempre giram ao redor de liderança em educação online), decidi trazer um assunto específico para o debate aqui do nosso blog: a biometria.

Na posição em que estou hoje tenho que dar muitas entrevistas sobre como são os cursos a distância da escola em que trabalho. Uma das coisas que mais me perguntam nestas entrevistas é como podemos provar que o aluno X é realmente o aluno X. Ou seja, como sabemos que o aluno X é a mesma pessoa que está fazendo a parte online do curso. Acho esta pergunta bastante pertinente, principalmente quando parte importante da educação se dá cada vez mais à distância e através de foros de discussão.

Obviamente, o maior risco para a escola é o de estar emitindo presença (além de um diploma ou certificado) para um aluno que não esteve em todas as aulas, mas enviou uma secretária ou um amigo em seu lugar.

No caso específico da escola em que trabalho, o monitoramento do aluno é tão constante que os professores “sentem” se o comentário de um aluno não foi feito pelo próprio. Até porque a metodologia segue o método socrático (de aprendizagem pelo debate), e todos os professores conhecem os alunos e seus estilos pessoalmente na parte presencial do curso no início do mesmo (os cursos são blended). Além do mais, as turmas são relativamente pequenas, com uma capacidade máxima de 32 alunos.

Ainda assim, levamos alguns anos acompanhando o desenvolvimento da biometria para fins educacionais e estamos chegando muito próximos de implantar sistemas de reconhecimento biométricos bastante práticos e fáceis de administrar.

Hoje, dentre os sistemas mais considerados para uso em educação a distância estão os de reconhecimento facial, da impressão digital e da íris. As empresas que fornecem estas tecnologias se multiplicam pelo mundo.

Reconhecimento da íris - foto de: http://www.infosecurity-magazine.com/

Reconhecimento da íris - foto de: http://www.infosecurity-magazine.com/

O desafio principal é poder captar a característica biométrica do aluno no inicio do curso e depois disponibilizar (ou exigir) que ele tenha o dispositivo apropriado de medição para que ele utilize cada vez que entre numa aula via videoconferência ao vivo ou via fórum de discussão.

Porém, com o uso cada vez maior dos tablets e dos telefones celulares para o acompanhamento das aulas fica complicado o aluno ficar carregando um dispositivo de medição biométrica pelas ruas para usar cada vez que queira entrar em classe.

A solução final parece que virá finalmente via software e não via hardware, com aplicativos de reconhecimento biométricos compatíveis com Windows, Mac, Iphone/Ipad e Android, por exemplo.

A notícia positiva disso tudo é que vamos poder resolver esta questão muito em breve. Além do mais, com impacto positivo também para os exames e provas feitos a distância.

Para mais info (em inglês): http://www.planetbiometrics.com/education/

Nota adicionada em 29/Outubro/2012: Hoje saiu uma notícia interessante sobre este assunto na BBC, escrita por Sean Coughlan, para quem estiver interessado. Está em inglês: How do you stop online students cheating?

***

Para mais info (em inglês):
Meu Twitter (education): @neweduca
Meu Twitter (emerging economies): @emergeconomies
Meu Facebook: https://www.facebook.com/newton.campos.phd
Minha Home Page: http://www.newtoncampos.com